Conteúdos sobre Saúde da gestante

Aleitamento Materno diminui risco de diabetes na mulher

03-ago-11

Amamentar os filhos reduz o risco de diabetes

Pesquisa americana mostra que a amamentação ajuda a perder gordura abdominal

The New York Times (04/09/2010)

Foto: Getty Images

Amamentação: ela também pode proteger contra o diabetes

Um novo estudo descobriu que as mães que não amamentam seus filhos correm mais risco de desenvolver diabetes tipo 2.

A doença, frequentemente associada à obesidade, ocorre quando as células do corpo perdem gradualmente a sensibilidade à insulina.

Pesquisadores da Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos, estudaram mais de 2.200 mulheres com idade entre 40 e 78 anos. Eles descobriram que 27% das mães que não tinham amamentado desenvolveram diabetes tipo 2, quase o dobro da número entre mulheres que amamentaram ou que nunca tiveram filhos.

Os pesquisadores disseram que as diferenças entre os grupos foram mantidas, mesmo depois que as estatísticas foram ajustadas, considerando fatores como idade, raça, nível de atividade física e índice de massa corporal.

“Dieta e exercício são amplamente conhecidos por impactar no risco de diabetes tipo 2, mas poucas pessoas percebem que o aleitamento materno também reduz o risco materno de desenvolver a doença devido à diminuição da gordura abdominal”, disse Eleanor Bimla Schwarz, professora assistente de medicina, epidemiologia e obstetrícia, ginecologia e ciências reprodutivas da Universidade de Pittsburgh.

“Nosso estudo fornece um outro bom motivo para incentivar as mulheres a amamentar seus bebês, pelo menos no primeiro mês de vida da criança”, disse Schwarz. “Os médicos precisam considerar o histórico de gestação da mulher ao alertá-la sobre o risco de desenvolver diabetes tipo 2.”

O estudo, que foi financiado pelo Instituto Nacional de Diabetes e de Doenças Digestivas e do Rim e pelo Instituto Nacional de Saúde Infantil e Desenvolvimento, está publicado na edição de setembro do American Journal of Medicine.

Fonte: http://delas.ig.com.br/saudedamulher/amamentar+os+filhos+reduz+o+risco+de+diabetes/n1237766371904.html

Benefícios do aleitamento para a recuperação do peso pré-gestacional

31-jul-11

Profa. Ms Gizele Monteiro

Diretora e idealizadora do programa de exercícios Mais Vida Gestantes

 

Será que a amamentação pode auxiliar na perda de peso no pós-parto?

Essa é uma questão que pode ajudar a mulher que está na dúvida de amamentar ou não para perder o seu peso. Algumas mulheres ainda acham que a amamentação irá fazer com que seu peso não retorne rapidamente.

Uma excelente fonte de pesquisa para esse esclarecimento é o artigo publicado pela Dra. Marina F. Rea.

Rea MF. Os benefícios da amamentação para a saúde da mulher. J. Pediatr. RJ), 2004, 80(5supl): S142-S146.

Segue “parte do artigo” que mostra os benefícios do aleitamento materno no retorno do peso pré-gestacional.

Recuperação de peso pré-gestacional

Sabe-se que a mulher adulta com atividade física moderada necessita de 2.000 a 2.200 calorias e de 40-45 g de proteína por dia para a manutenção de seu peso e metabolismo. Quando lactante, é necessária uma quantidade adicional de 500-640 calorias e de cerca de 16 g de proteína. Como, na gravidez, acumulam-se reservas da ordem de 100-150 calorias por dia, a mulher muitas vezes termina a gestação com sobrepeso. Assim, de maneira geral, a mulher volta ao peso pré-gravidez após algum tempo, que é variável. No puerpério, quando o organismo da mulher está preparado para lactar, qual seja, produzir leite materno, nem sempre ela consome a quantidade necessária de calorias para produzir o leite que o bebê ingere. Se estiver amamentando, o organismo irá retirar aquela reserva acumulada para fabricar o leite materno42. Se a amamentação for exclusiva, ou seja, se todas as calorias que o bebê estiver consumindo forem de origem materna, a quantidade retirada da mãe maior será43. Assim, se a mãe pára de amamentar precocemente, conserva as calorias que seriam usadas para fabricar leite materno. A puérpera, então, conservará o peso ganho na gestação e demorará mais tempo para voltar ao peso pré-gestacional.

Em regiões pobres, onde muitas vezes uma gravidez se segue à outra, o acúmulo de peso do ciclo gravídico puerperal pode contribuir para a obesidade nas mulheres adultas. A prática da amamentação exclusiva por 6 meses, conforme a recomendação da Organização Mundial da Saúde, contribui para uma perda de peso da mãe mais rápida38-40. Em estudo longitudinal realizado com 312 mulheres do sul do Brasil, Gigante et al. mostraram que as mulheres que amamentaram de 6 a 12 meses apresentaram os menores índices de massa corpórea e medidas de prega cutânea. Além disso, as que amamentaram de forma exclusiva ou predominante tenderam a ser mais magras do que as que amamentaram parcialmente ou não amamentaram43.

Motil et al., numa pequena amostra nos Estados Unidos, ao comparar mulheres lactantes com não-lactantes e nulíparas, notaram que, embora as lactantes apresentassem mais gordura corpórea até 18 semanas pós-parto, elas perdiam peso lenta e gradualmente até os 12 meses. Ao final de 1 ano, as pregas cutâneas dos três grupos de mulheres não diferiram significativamente44.

É importante salientar que já foi demonstrado que a perda de peso das mulheres lactantes em amamentação exclusiva, que pode chegar a 500 g por semana entre a quarta e a 14ª semana, não interfere no crescimento dos bebês45.

Link para acessar o artigo: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0021-75572004000700005&script=sci_arttext

Dia da Gestante e Day Spa Gestante – Mais Vida Gestantes

20-jul-11

Mais uma vez inovando para as mamães e realizando um evento todo especial e diferente para comemorar o DIA DA GESTANTE.

Oficializado para ser comemorado no dia 15 de agosto cada ano, o Projeto de lei nº 491/98 do deputado Caldini Crespo – PFLe Lei aprovada nº 10822/01, desde de junho de 2001.

Esse ano o evento cojunto escolhido foi um DAY SPA GESTANTE, que será realizado no dia 6 de agosto (sábado) na clínica parceira Corpore Vita.

O evento tem o objetivo de atender as várias área para deixar nossa mamãe bela, feliz e saudável. Por isso o evento contemplará a beleza com tratamentos super especiais, saúde com atendimento super relaxante com Personal Gestante do Mais Vida, Massagem e um atendimento com dicas nutricionais até um momento fashion com fotos com uma profissional de primeira linha + Moda Gestante da Zazou.

Daí surgiu um Day Spa para Grávidas Antenadas que querem estar elegantes e bonitas.

Não poderia faltar no espaço, dicas de decoração para o quartinho do bebê … que claro … não poderia ser esquecido.

Veja todos os detalhes desse super dia!

Comemoração do Dia da Gestante na Zazou = Day Spa e Fotos Gratuitas

Gostou da idéia? Quer participar?

Mais informações e inscrições gratuitas diretamente na Corpote Vita pelo tel: (11) 5541-4331 ou pelo site: www.clinicacorporevita.com.br.

Mas corram, pois as vagas são limitadas e os horários agendados antecipadamente. Você diz quais são os tratamentos que quer fazer dentre os disponíveis, e vão lhe dizer na hora os horários disponíveis para cada um, fazendo então sua própria agenda pessoal do evento.

Esperamos fazer do seu Dia da Gestante um dia belo e saudável … com muita felicidade! Te encontro lá!

Gizele Monteiro – Diretora do Mais Vida Gestantes

Day Spa Gestante – SAVE THE DATE

12-jul-11

INOVAÇÃO NO DIA DA GESTANTE – DAY SPA GESTANTE

Pelo segundo ano, comemorando o Dia da Gestante em Agosto, estamos mais uma vez inovando. Nesse ano mais uma vez buscando o pioneirismo, em parceria com outras empresas sempre buscando deixar as mamães belas e felizes.

A Zazou, parceira do Mais Vida Gestantes, realizou uma pesquisa informal entre as suas clientes grávidas para saber o que elas gostariam de ganhar de presente neste dia?

E algo que logo se destacou como desejo das grávidas é um Day Spa Gestante, com vários tratamentos e massagens pensando na sua beleza e forma. Não poderia ser mais apropriado, pois no final das contas tanto a Zazou, quanto O Mais Vida Gestantes trabalham para ajudar nossas gestantes belas.

E até para inaugurar também o atendimento do Mais Vida em seu mais novo espaço parceiro, uma das melhores clínicas de beleza e Spa deste segmento de gestante, que é a Corpore Vita, oferecer um Day Spa de presente para vocês … nossas mamães e juntamento com um atendimento com Personal Gestante!

Mais uma vez o Mais Vida se unindo à Zazou para oferecer mais diferenciais com o que há de melhor no mercado. Mais uma vez saindo na frente e lançando moda e tendências neste segmento!

Save The Date = Day Spa Gestante no dia 6 de Agosto (Sáb)

Por isto: “Save The Date” para passar algumas horas muito agradáveis conosco no dia 6 de agosto (um sábado).

Fiquem atentas pois mais detalhes serão passados desse evento que promete.

Vagas Limitadas no Day Spa de Gestante da Zazou

Dicas e cuidados para as gestantes no carnaval

03-mar-11

O Mais Vida Gestantes foi consultado para dar dicas e cuidados para as mamães no carnaval.

 

Portal da Revista Pais&Filhos

Hora da folia

Chega o carnaval, mas a barriga deixa dúvidas: saiba se você deve ou não se jogar na avenida

Por Marianna Perri, filha de Rita e José

Fernanda Lima, Sheila Carvalho e Adriane Galisteu estão aí para provar que é possível, sim, pular o carnaval durante a gravidez. Mas os médicos avisam: moderação e preparo físico são essenciais para quem quiser cair na folia de barrigão.

Os mais radicais afirmam que é melhor se reservar durante o carnaval. Nada de atividades físicas intensas, horários desregulados ou multidões: durante a gestação, a mãe deve manter uma boa dieta, o horário de sono e as atividades físicas moderadas.

Nos primeiros meses de gestação, o cansaço pode ser maior e os enjôos são mais frequentes. Por isso, as chances de a mulher passar mal durante no trajeto do bloco de rua ou do desfile da escola de samba favorita são maiores.

Quando a barriga começa a aparecer, a partir da 20ª semana, os riscos crescem. A mulher deve fugir dos aglomerados para evitar impactos: o bebê está protegido dentro do útero, mas a barriga da gestante é mais sensível e ela pode se machucar.

As mães que já faziam atividades físicas antes da gestação podem ter mais fôlego para aguentar o pique do carnaval, mas, mesmo assim, é importante que ela tome alguns cuidados primordiais para cair na folia.

A mulher deve estar sempre hidratada e com roupas confortáveis. As dores nas costas também podem atrapalhar a folia, já que as futuras mães estarão carregando mais peso do que o normal. Por isso, use sapatos confortáveis e evite o salto.

Mantenha uma alimentação balanceada, com alimentos leves e saudáveis, e não tome bebidas alcoólicas. Não fique longos períodos em atividade, procure ambientes frescos e controle a intensidade da dança.

Vale pensar se vale realmente a pena passar o carnaval na avenida ou aproveitar para curtir a gravidez. Carnaval acontece todos os anos, sua gestação, não.

 

Gravidez após os 40 – que cuidados devemos ter com a gestação tardia?

31-jan-11

Site Melhoramiga.com.br

Essa foi uma entrevista que concedemos ao site Melhor Amiga com o tema Gravidez após os 40 – que cuidados devemos ter com a gestação tardia?. Tema em alta na mídia a preocupação é bem atual pelo novo estilo de vida da mulher que deixa para engravidar mais tardiamente.

A gravidez tardia é sempre preocupação da área médica por vários fatores de saúde da mulher e também do bebê. Do ponto de vista físico (corporal e nível de aptidão física), a mulher encontra-se numa curva descendente. Aquelas que realizam exercícios tem uma queda bem menos acentuada, pois mantém sua musculatura fortalecida, postura e condição cardiorrespiratória também melhorada.

A gravidez é um momento de impacto fisiológico e biomecânico muito grande para mulher e ainda mais após os 40 anos. Tanto o aumento de peso, quanto a probabilidade de doenças como diabetes e hipertensão aumenta. Por isso, nesse momento, os exercícios físicos são uma forma muito interessante de contribuir para a saúde da mulher, da gestação e conseqüentemente do bebê. Os cuidados devem ser redobrados, a intensidade e o volume do exercício também, assim como a escolha do exercício juntamente com a qualidade técnica do mesmo para não aumentar os riscos de lesões. Leia mais…

Fotos da I Caminhada Gestante Ativa

23-nov-10

A I Caminhada Gestante Ativa Rio – Um incentivo ao bem-estar organizada pelo Mais Vida Gestantes, Zazou Moda Gestante e Proativa Club e mais vários parceiros numa ação conjunta foi um sucesso.

Com um clima super descontraído as nossas mamães participaram da caminhada que aconteceu na Lagoa Rodrigo de Freitas – Domingão, dia 21 de novembro de 2010, às 9 horas.

 A caminhada durou em torno de 30 minutos em um circuito tranqüilo e agradável para as gestantes e acompanhantes.

As fotos tiradas pela nossa também gravidinha Andreia Moreno ficaram um arraso e documentaram os momentos do nosso evento. 

Após a caminhada, as gestantes se refrescaram em um espaço com frutas, sucos, água e um lanchinho gostoso.

As Gestantes também desfrutaram da várias ações ocorridas no local, como:

Avaliação Nutricional com as nutricionistas Aline Nascimento e Aline Rodrigues.

Massagem gratuita com o pessoal do Viver Zen SPA.

Todas ganharam: Camisas do evento, bottons das Carinhas Personalizadas, brindes da MAM, brinde da Zazou Moda Gestante, Revistas Kids In, Revista Sempre Materna, Produtos O Boticário da linha Gestante, Lembrancinhas da Fábula e Arte, folhetos explicativos para os cuidados com a mamãe e o bebê, folhetos explicativos sobre amamentação, folhetos explicativos para os cuidados orais com o bebê e brindes da linha Mater Gestante e Mãe.

 

Sorteio de brindes da Carlotha Bolota, Zazou Moda Gestante, Mundo Bebê, Canecas das Carinhas Personalizadas, Um kit Lembranças Maternidade da Fábula e Arte, 20 fotos com a Fotógrafa Andréia Moreno, consultoria com a Denise do Personal Bebê  e Livro Gravidez Absoluta. 

Elas também posaram para fotos, onde todas vão receber suas fotos via e-mail em alta resolução para que possam guardar de lembrança este dia que foi bem legal.

Gente … este post ficou muito grande !!! Vejam mais fotos no Orkut “Andréia Moreno Fotografia”

Espero que vocês tenham gostado do evento. Eu adorei ter participado. Parabéns aos organizadores e a todos os patrocinadores do evento que foi um sucesso.

Beijos em todos …

Segue alguns endereços dos organizadores e parceiros do evento:

Proativa Club – http://www.proativaclub.blogspot.com/

Mais Vida Gestante – http://metodomaisvida.com.br/conteudo/2//

Zazou Moda Gestante – http://blog.zazou.com.br/

Aline Nascimento – http://nutricionistaalinenascimento.blogspot.com/

Aline Rodrigues – http://www.nutrindocomsaude.com/

Viver Zen SPA – http://www.viverzenspa.com.br/

Carinhas Personalizadas – http://www.carinhaspersonalizadas.com.br/

MAM – http://www.mambaby.com/

Revista Kids in Rio – http://www.kidsinrio.com.br/

Revista Sempre Materna – http://semprematerna.uol.com.br/

O Boticário – http://internet.boticario.com.br

Fábula e Arte – http://www.fabulaearte.com/

Mater Gestante e Mãe – http://www.biolabfarma.com.br/

Carlotha Bolota – http://www.carlothabolota.com.br/

Mundo Bebê –

Andréia Moreno Fotografia – http://andreiamoreno.wordpress.com/

Gravidez Absoluta – http://gravidezabsoluta.blogspot.com/

Personal Bebê – http://personalbebe.blogspot.com/

Como o leite materno é produzido?

04-ago-10

Como o leite materno é produzido

 

Especial para a SEMANA MUNDIAL DO ALEITAMENTO MATERNO

Veja a animação e entenda todos os processos fisiológicos e emocionais (afetivos) que acompanham a amamentação.

 

http://oglobo.globo.com/servicos/pop_infografico.asp?p=/saude/vivermelhor/info/amamentacao/amamentacao.swf&l=620&a=500

Aleitamento Materno – benefícios

03-ago-10

Na Semana Mundial do Aleitamento Materno continuamos com as matérias (artigos) especiais abordando, benefícios que acompanham o aleitamento para a mãe e para o bebê, além de informativos, dicas, animações sobre o tema .

 

desenho amamentacaoEstudo canadense revelou que o aleitamento materno prolongado favorece o desenvolvimento cognitivo e a inteligência das crianças.

Já em 1999 o American Journal of Clinical Nutrition publicava que o QI (quociente de inteligência) de  bebês amamentados é de 3 a 5 pontos mais elevado do que os alimentados com leite sintético. Esses trabalhos recentes, dirigidos por Michael Kramer, da Universidade McGill de Montreal, e a sua equipa, constituem o maior estudo realizado, tendo incidido sobre uma amostra de 14 mil crianças na Bielorrússia.

O estudo conclui que o aleitamento materno produz uma subida do quociente intelectual das crianças e uma melhoria do seu rendimento escolar, segundo informou a universidade McGill em comunicado. «O nosso estudo constitui a maior prova até hoje de que um aleitamento materno prolongado e exclusivo torna as crianças mais inteligentes» afirmou Kramet, professor de pediatria, epidemiologia e bioestatística na Faculdade de Medicina da Universidade McGill.

O que parece mais importante neste estudo é que ele venhareforçar e alertar para a importância do aleitamento materno. Na verdade, o leite humano é muito diferente do leite adaptado (leite em pó) e contém todas as proteínas, açúcares, gordura, vitaminas e água que o bebê necessita para ser saudável. Além disso, contém determinados elementos que o leite em pó não consegue incorporar, tais como anticorpos e glóbulos brancos, fundamentais para o fortalecimento do sistema imunitário da criança. É por isso que o leite materno protege o bebê de certas doenças e infecções. Tem ainda um importantíssimo ácido gordo do tipo Ómega 3, o DHA (ácido docosahexaenóico), fundamental para o desenvolvimento da retina (prevenção da miopia) e do sistema nervoso central do lactante.

Entre outras vantagens, o aleitamento materno protege as crianças de otites, alergias, vómitos, pneumonias, meningites, etc. Ele é mais facilmente digerido e o acto de mamar melhora a formação da boca e o alinhamento dos dentes. Este acto promove também a criação do vínculo materno, importante estímulo para as futuras relações sociais da criança.

Por fim, o aleitamento também tem vantagens para a mãe aumentando a sua confiança e diminuindo a ansiedade, ajudando a retomar o peso normal (permite queimar calorias), a diminuir a perda de sangue pós-parto e o retorno do útero ao tamanho normal. Parece também ser uma proteção contra o cancer de mama e do ovário e contra a osteoporose.

As recomendações da OMS são que as criança devem fazer aleitamento materno exclusivo até aos 6 meses de idade. A partir dessa idade devem começar os alimentos complementares (sopas, papas, …) e continuar com o leite materno até cerca dos 2 anos.

 

infografia_amamentacao

 

 

Pré-eclâmpsia – Riscos para a Gestação

03-ago-10

Pré-eclâmpsia mata ao menos duas gestantes por dia no Brasil

 

No Brasil, a hipertensão arterial na gravidez constitue a primeira causa de morte materna. Estudo recente apontou que, nas capitais brasileiras, os transtornos hipertensivos lideram as causas deste tipo de morte, representando em torno de 25% dos óbitos maternos investigados (Laurenti et al, 2004). 

 

Poucos casais que planejam ter filhos já ouviram falar em pré-eclâmpsia. Mas a doença, que acomete 5% das gestações em todo o mundo, é a principal causa de mortalidade materna no Brasil – ao menos duas mulheres morrem a cada dia por causa do problema, segundo o professor do departamento de obstetrícia da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) Nelson Sass.

“Identificar precocemente a doença é fundamental para proteger a mãe e o bebê”, diz o médico.

As consequências graves da pré-eclâmpsia para a mulher fazem dessa condição a principal causa de partos prematuros no país, com risco de danos neurológicos para a criança. A enfermidade é caracterizada por pressão alta e perda de proteínas pela urina, consequência de falhas na filtragem que é feita pelos rins. Ainda não se sabe ao certo a causa da doença, apenas que se trata de uma espécie de reação exagerada do organismo da mulher ao feto.

A propensão é maior entre gestantes hipertensas, com excesso de peso e cujas mães tiveram o problema.

Após iniciado o processo inflamatório, há risco de complicações como falência renal, insuficiência hepática, convulsões (eclâmpsia) e acidente vascular cerebral. Vale destacar que nem todo aumento de pressão na gravidez é sinônimo de pré-eclâmpsia. Evolução silenciosa, Sass esclarece que a doença começa assim que o embrião chega ao útero, mas os sintomas só começam a aparecer a partir da 20ª semana de gestação. Algumas mulheres apresentam sinais de que a pressão aumentou, como dor de cabeça, tontura e visão borrada. Muitas também apresentam inchaço e ganho de peso repentino, decorrente da retenção de líquido, mas não levam os sintomas a sério por achar que fazem parte da gravidez. “É uma doença silenciosa, por isso é tão preocupante”, comenta.

Em geral, a pré-eclâmpsia é controlada com medidas paliativas, como o uso de medicamentos para baixar a pressão e evitar convulsões. Em alguns casos, também é indicada a aplicação de corticoide para melhorar o desenvolvimento do bebê. O problema, segundo o médico, é que muitas mulheres chegam ao hospital com os sintomas em estágio avançado e, nesses casos, a única alternativa é afastar da mulher o foco da inflamação, que é a placenta, imediatamente. Em outras palavras: é preciso antecipar o parto para evitar a morte da mãe e/ou do bebê.

Exames:

Atualmente, o diagnóstico da pré-eclâmpsia é clínico (feito em consultório) e confirmado por exames que detectam a presença de proteínas na urina. A investigação da existência de marcadores no sangue que podem facilitar a detecção de alterações na placenta antes que os sintomas físicos da doença apareçam é tema de simpósio.

Como não há meios de prevenir a pré-eclâmpsia, Sass ressalta que a gestante deve ficar atenta a qualquer sintoma diferente e relatar ao profissional que a acompanha. “Na dúvida, é melhor procurar o médico logo do que esperar pela consulta seguinte do pré-natal”.

 

Fonte: http://noticias.uol.com.br/ultnot/cienciaesaude/ultimas-noticias/2010/07/16/pre-eclampsia-mata-ao-menos-duas-gestantes-por-dia-no-brasil.jhtm

Referência Bibliográfica:

Laurenti R, Jorge MHPM, Gotlieb SLD. A mortalidade materna nas capitais brasileiras: algumas características e estimativa de um fator de ajuste. Rev Bras Epidemiol. 2004;7(4):449-60..