Conteúdos sobre Nutrição na Gravidez / Gestação

Adoçantes na gravidez

30-abr-14

Por Gizele Monteiro – personal gestante

 

Resumo do artigo publicado na Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, vol. 29, n.5 (2007). Torloni e colaboradores.

O uso de adoçantes na gravidez: uma análise dos produtos disponíveis no Brasil.

 

Os adoçantes são freqüentemente utilizados por mulheres em idade reprodutiva.

Esta é uma revisão narrativa da literatura a respeito dos adoçantes atualmente comercializados no mercado brasileiro.

Existem poucas informações sobre o uso da sacarina e ciclamato na gestação, e seus efeitos sobre o feto.

Adoçante na gestação

Adoçante na gestação

Devido às limitadas informações disponíveis e ao seu potencial carcinogênico em animais, a sacarina e o ciclamato devem ser evitados durante a gestação (risco C). O aspartame tem sido extensivamente estudado em animais, sendo considerado seguro para uso na gestação (risco B), exceto para mulheres homozigóticas para fenilcetonúria (risco C). A sucralose e o acessulfame-K não são tóxicos, carcinogênico ou mutagênicos em animais, mas não existem estudos controlados em humanos. Porém, como esses dois adoçantes não são metabolizados, parece improvável que seu uso durante a gestação possa ser prejudicial (risco B). A estévia, substância derivada de uma planta nativa brasileira, não produz efeitos adversos sobre a gestação em animais, porém não existem estudos em humanos (risco B).

Os agentes de corpo usados na formulação dos adoçantes (manitol, sorbitol, xilitol, eritrol, lactilol, isomalte, maltilol, lactose, frutose, maltodextrina, dextrina e açúcar invertido) são substâncias consideradas seguras para o consumo humano.

Conclusão: segundo as evidências atualmente disponíveis, o aspartame, a sucralose, o acessulfame e a estévia podem ser utilizados com segurança durante a gestação.

http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-72032007000500008&script=sci_arttext

Como me alimentar durante a gravidez?

31-dez-13

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante

 

Muitas gestantes ainda têm dúvidas do como se alimentar durante a gravidez.

 

Alimentos para a saúde na gravidez

Saúde e controle de peso na gravidez – Gravidez em Forma

 

A alimentação na gravidez exerce uma função muito importante. Além da saúde materna e fetal há também a importância para o controle do ganho de peso.

Para uma gravidez em forma (visite nosso site e saiba mais sobre como se alimentar para ter uma gravidez em forma) certifique-se de que você está ingerindo em sua alimentação os nutrientes necessários para sua saúde e de seu bebê. Em nosso site Gravidez em Forma preparei 4 dicas gratuitas para você receber em seu e-mail.

O e-book “Gravidez em Forma” que será lançado agora em 2014 além de informar dá várias dicas para a sua saúde e inclusive poderão ser usadas no pós-parto.

E-book Gravidez em Forma - www.gravidezemforma.com.br

E-book Gravidez em Forma – www.gravidezemforma.com.br

Veja algumas das necessidades nutricionais por trimestre:

- Primeiro trimestre: maior necessidade de ácido fólico e de outras vitaminas do complexo B. Invista em alimentos ricos nesses nutrientes.

- Segundo trimestre: deve-se consumir uma maior quantidade de alimentos que contenham fibras e ferro.

- Terceiro trimestre: deve-se consumir alimentos ricos em cálcio e ômega-3.

 

Te espero em nossas dicas para que possamos te orientar mais!

Gravidez em Forma – controle o seu peso na gravidez

16-dez-13

Por Gizele Monteiro – Personal gestante

 

Uma das maiores dúvidas das mamães e como ter sua Gravidez em Forma e dessa forma ter o controle do seu peso na gravidez. Será que é possível controlar o peso durante a gravidez?

O maior temor das mamães é engordar durante a gravidez e não ter o seu corpo de volta após a gravidez.

E-book Gravidez em Forma

E-book Gravidez em Forma

 

Após inúmeros atendimentos, vi a necessidade de ajudar mais gestantes e mamães.

Está nascendo um novo projeto: o Gravidez em Forma, com o selo e fundamentado no conhecimento do Mais Vida Gestantes.

Venha conhecer um pouco mais.

Assista o video e cadastre-se em nosso site para receber minhas dicas.

Video:

Gravidez em Forma

Site: www.gravidezemforma.com.br

Alimentação pode auxiliar na prevenção da depressão na gravidez e pós-parto

29-abr-13

Por: Grupo Stancanelli – Mirtes Stancanelli, Erica Tatiana e Emy Takahashi

A depressão é uma doença que pode ocorrer em qualquer pessoa e merece muita atenção e cuidado.

A alimentação saudável tem sido apontada como um meio de auxiliar na prevenção da depressão na gravidez e pós-parto.

As vezes, a depressão é gerada por um episódio emocional grave, como divórcio, morte de entes queridos, ou pode aparecer aparentemente por nada. Ela também pode ocorrer durante as fases de mudanças da vida como na adolescência, terceira idade, ou na gestação, principalmente no pós-parto.

Alguns pesquisadores tem observado que a alimentação tem uma participação importante para evitar a depressão.

Como uma boa alimentação pode auxiliar na prevenção da depressão?

- Cuidado com o alto consumo de açucares, cafeína e álcool ao longo dos trimestres de gestação;

- Prefira alimentos que contenham baixos teores de gordura. A gordura inibe a síntese de neurotransmissores no cérebro promovendo maior probabilidade à depressão;

- Vitaminas do complexo B são importantes para aqueles que querem se manter física e emocionalmente mais saudáveis. O complexo vitamínico B é importante para produção de serotonina (que influi na regulação do humor). Muitas drogas que incluem o estrógeno podem interferir na absorção de vitamina B6. Na gestação esses hormônios estão elevados para produzir as mudanças gestacionais. Os grupos de verduras, legumes e frutas são ricos nestas vitaminas, intensifique-os na alimentação;

- Uma alimentação pobre em Ômega 3 deixa o sistema nervoso mais vulnerável à depressão. O Ômega 3 é encontrado em peixes como bacalhau, salmão, arenque e  em menores concentrações na soja, castanha e óleo de canola;

- Alimentos que auxiliam no tratamento da depressão: banana, verduras, frutas e peixes.

A prática de exercícios físicos bem como o apoio familiar e uma alimentação equilibrada ajudam a diminuir a ansiedade e também a combater a depressão.

 

Nutrição na Gravidez

30-jul-12

Por Gizele Monteiro

A nutrição na gravidez é uma parte importante de um estilo de vida saudável para este momento. Uma alimentação saudável na gravidez irá ajudar seu bebê a se desenvolver e crescer.

A gestante não precisa ter uma dieta especial, mas é importante comer uma variedade de alimentos todos os dias para obter o equilíbrio certo de nutrientes para ela e seu bebê.

Durante a gravidez existe uma alteração no apetite e a mamãe terá mais fome que o habitual. Essa alteração é denominada HIPERFAGIA – aumento do apetite, mas isso não significa que ela precise “comer por dois” – mesmo que esteja esperando gêmeos!

A gestante deve ter um café da manhã saudável “todos os dias”, porque isso pode ajudá-la a evitar alimentos que são ricos em gordura e açúcar no decorrer do dia.

Comer saudavelmente significa muitas vezes apenas mudar os valores de diferentes alimentos que ela irá ingerir, para que sua dieta seja variada, ao invés de cortar todos os seus alimentos favoritos.

Nutrição na Gravidez – Forma segura de preparar os alimentos:

  • lavar frutas, legumes e saladas para remover todos os vestígios de terra, que pode conter toxoplasma, um parasita que pode causar toxoplasmose e pode fazer mal ao feto,
  • lavar todas as superfícies e utensílios, e suas mãos, depois de preparar carne crua – o que irá ajudar a evitar a toxoplasmose,
  • certifique-se que os alimentos crus são armazenados separadamente prontos para comer, caso contrário há um risco de contaminação – isso é para evitar outros tipos de intoxicação alimentar de carne (como Salmonella, Campylobacter e E. coli)
  • usar uma tábua separada para cortar carne crua

O uso de adoçantes na Gravidez

18-jul-12

Por Dra. Mirtes Stancanelli – Nutricionista

O uso de adoçantes na Gravidez

Os adoçantes hoje fazem parte do dia-a-dia de muitas mulheres, mas será que seu uso deve continuar durante a gravidez?

As substâncias sacarina e ciclamato já são proibidas em alguns países. A primeira não pode ser usada no Canadá e a segunda nos Estados Unidos. Alguns testes feitos em camundongos resultaram em câncer na bexiga dos animais. Não é comprovado o risco em seres humanos, mas os estudos com animais incentivaram a proibição dos adoçantes em alguns países e sua restrição no Brasil.

A preocupação está no uso excessivo, de forma indiscriminada que é muito comum, principalmente para quem deseja manter o peso. Uma série de produtos do nosso dia-a-dia contém edulcorantes, como os alimentos diet e light.

Adoçantes à base de:

- SACARINA - deve ser restrita por se mostrar permeável à placenta, isto é, ela passa na placenta chegando ao feto, e é pouco excretada pelo feto. O aumento deste produto está associado com tumores malignos e prejuízo no crescimento de crianças.

- CICLAMATO – algumas evidências mostram se relacionar com um menor ganho de peso fetal.

A tabela abaixo refere-se a quantidade limite para o uso dos diferentes edulcorantes. Cuidado com as quantidades, leia com atenção os rótulos dos alimentos!

LIMITES PERMITIDOS
Fonte: Organização Mundial da Saúde
Edulcorante Limite (mg/kg)
Acessulfame-K 15
Aspartame 40
Ciclamato 11
Frutose não existe limite
Sacarina 5
Estévia 5,5
Sucralose 15
Xylitol, Manitol, Sorbitol 15
Alitame 1
Glocosídeos de Esteviol 2
Neotame (ainda não aprovado no Brasil) 2

A melhor orientação é uma alimentação saudável na gravidez. Se a dieta na gravidez estiver adequada o uso de adoçantes poderá ser cortado.

Referências

Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso).

American Dietetic Association.

Paladar na Gestação

06-abr-10
Por Gizele Monteiro – Personal Gestante

A mudança do paladar na gestação é algo bem comum. Vários alimentos amados passam a ser desconsiderados e vários odiados passam a ser consumidos.

Grávidas trocam chocolate por limão, diz obstetra

FABIANA SERAGUSA
colaboração para a Folha Online

Patrícia Ribeiro era daquelas chocólatras de carteirinha, que não deixava de comer ao menos um pedacinho de doce por dia. Quando estava grávida de Alice, hoje com dois anos, ela enjoou de chocolate e passou a incluir jiló, mostarda e limão em sua lista de “necessidades” diárias.

SXC
Grávidas sentem desejo de comer limão, por conta da produção hormonal
Grávidas sentem desejo de comer limão, em razão dos hormônios do período gestacional

Karen Santana também sentiu muita vontade de comer tudo com mostarda durante a gravidez, mas garante que sempre odiou o condimento. O ginecologista e obstetra José Bento de Souza diz que alimentos ácidos e azedos são os preferidos das mamães, e que o grande campeão é a vontade de chupar limão. “Os alimentos ácidos melhoram a sialorreia (aumento da secreção salivar) e diminuem a náusea”, explica.

Segundo o médico, possíveis edemas encontrados nas papilas gustativas –responsáveis pela distinção do sabor dos alimentos– contribuem para estas vontades recorrentes.

Enquanto uns acham que os desejos das grávidas são apenas “frescura”, outros acreditam que realmente há uma explicação científica. O especialista conta que “a medicina não conhece todas as respostas hormonais do corpo humano”, mas que, “muito provavelmente, a gestação provoca mudanças nos hábitos alimentares, por conta da alta produção hormonal”. Até porque 100% de suas pacientes relatam essa alteração.

Mas não é só de limão e mostarda que vivem as grávidas. Thaysa Araújo, por exemplo, ficou louca por Fanta –mas diz que antes também não gostava nada, nada. Carolina Mendes odiava ovo, mas chegou a comer uma caixa inteira em uma semana. E Priscila Bastos não passava um dia sem se esbaldar com pratos fartos de escarolas e espinafres.

http://www1.folha.uol.com.br/folha/comida/ult10005u715834.shtml