Conteúdos sobre Ganho de Peso e Gravidez

Ganho de peso durante a gravidez – como saber se está adequado?

12-out-09

Profa. Ms Gizele Monteiro

SAIBA SE O SEU PESO ESTÁ ADEQUADO.

Em vários artigos neste site temos relatado a importância de uma boa alimentação e a prática regular de exercícios físicos para o controle do ganho de peso durante a gravidez e a saúde da mãe e do bebê. O excesso ou a falta do ganho de peso durante a gravidez é um fato de muita relevância para sabermos sobre a saúde da gestante, sendo ligado ao aparecimento de doenças durante a gravidez.

Descubra se você  está com o peso adequado à sua semana gestacional.

Clique no link:

http://pt.calcuworld.com/calculadorasdegravidez/calculadora-do-peso-ideal-na-gravidez/

 

Quer aprender mais a como controlar seu peso na gravidez? Elaborei o e-book e projeto Gravidez em Forma para te ajudar!

Acesse agora e se cadastre para receber um mini-curso gratuito que te ajudará a ganhar o peso adequado na gravidez.

 

E-book Gravidez em Forma by Gizele Monteiro
E-book Gravidez em Forma by Gizele Monteiro

Diabetes Gestacional

07-ago-09

Profa. Ms Gizele Monteiro

Diabetes Gestacional significa que a mulher durante a gravidez começa a apresentar elevadas taxas de glicose (açúcar) no sangue.

Diabetes é uma doença metabólica caracterizada por um aumento anormal da glicose (ou açúcar no sangue). A glicose é a principal fonte de energia do organismo, mas quando em excesso, pode trazer várias complicações à saúde.


No Brasil, a prevalência do diabetes gestacional é de 7,6%, sendo considerado um problema de saúde pública.

Uma vez que tenha aparecido, o diabetes gestacional dura até o final da gravidez. Na maioria das mulheres, o problema se resolve quando a gravidez termina, mas as mulheres que tiveram Diabetes Gestacional têm maior risco de desenvolver o diabetes tipo 2 com o passar do tempo.

PORQUE A PODE DESENVOLVER O DIABETES GESTACIONAL?

No período da gravidez, a placenta (órgão responsável pela nutrição do feto) produz alguns hormônios em grande quantidade. Embora imprescindíveis para o desenvolvimento do bebê, os hormônios criam uma dificuldade (resistência) à ação da insulina no organismo materno.

Na maioria das mulheres, o pâncreas reage a esta situação produzindo insulina adicional o bastante para superar a resistência à insulina. Em mulheres com Diabetes Gestacional, a insulina extra não é produzida o suficiente e o açúcar não pode ser processado corretamente pelo corpo. Dessa forma a glicose se acumula na circulação sangüínea.

À medida que o feto cresce, maiores quantidades dos hormônios que interferem com a insulina são produzidas. Por isto, o Diabetes Gestacional normalmente começa no último trimestre de gravidez.

SINTOMAS DO DIABETES GESTACIONAL:

Algumas mulheres grávidas com Diabetes Gestacional podem apresentar os seguinte sintomas: sede aumentada, diurese mais freqüente (urina aumentada), perda de peso, apesar do apetite elevado, cansaço, náuseas ou vômitos, infecções por fungos (candidíase vaginal, por exemplo), visão turva.

Porém, algumas mulheres não têm nenhum sintoma detectável, razão pela qual o médico dever pedir os exames para o diabetes na rotina do pré-natal.

FATORES DE RISCO DO DIABETES GESTACIONAL:

- mulheres que estão acima do peso durante a gravidez têm um risco mais alto da doença, e o controle cuidadoso do peso antes da gravidez pode reduzir esse risco.

- mulheres que já tiveram Diabetes Gestacional têm maior risco de desenvolver novamente nas próximas gravidezes. Após a gravidez elas também terão um risco aumentado de desenvolver diabetes tipo 2, devendo medir seu açúcar no sangue regularmente, até mesmo depois que a gravidez terminou.

PREVENÇÃO DO DIABETES GESTACIONAL:

O exercício físico regular é um forte aliado no controle e na prevenção do diabetes gestacional.

A consulta a um nutricionista para montar um plano de dieta e o monitoramento dos níveis de glicose no sangue pode auxiliar nesse controle. Se isso não ocorrer, o médico irá prescrever insulina.

* As complicações que Diabetes Gestacional apresenta podem ser prevenidas controlando cuidadosamente o açúcar no sangue. A mulher deve ser vista frequentemente pelo seu obstetra ao longo de sua gravidez nas consultas pré-natais.

Obesidade e Gravidez

02-ago-09

Profa. Ms Gizele Monteiro

Obesidade e Gravidez – um problema para a saúde da mamãe e do bebê.

A obesidade na gravidez deve ser levado mais a sério. Sabe-se que a gravidez é um momento onde a mulher pode ter uma grande mudança corporal. A gestação pode atuar como um fator desencadeante da obesidade. Se a mulher já apresentar sobrepeso ou for obesa, a gestação poderá atuar como um agravante.

Hoje a obesidade já é considerada um grave problema de Saúde Pública. Sua prevalência vem aumentando sistematicamente ao longo das últimas décadas, tanto em países desenvolvidos como em boa parte dos países em desenvolvimento. Segundo a Organização Mundial da Saúde, a obesidade seria hoje um dos maiores e mais visíveis, porém mais negligenciados, problemas de Saúde Pública em todo o mundo.

Repercussões obesidade na gravidez

Muitos estudos têm apontado que mulheres que iniciam a gravidez com IMC (Índice de Massa Corporal) acima do normal (que seria 20 a 24,9) têm riscos mais elevados para diversas complicações:

- o risco de pré-eclâmpsia dobra a cada aumento de 5 a 7 kg/m2 (equivalente a um aumento no risco de 0,54% para cada 1 kg/m2 de aumento do IMC).

- quanto maior o IMC materno inicial, maior o risco de diabetes gestacional (DG).

- gestantes obesas também apresentam maior probabilidade de terem infecções urinárias e do trato genital inferior.

- o sobrepeso materno aumenta os riscos de parto induzido, cesarianas, hemorragia maciça pós-parto e infecção pós-parto.

A importância do Exercício

O exercício atua como uma excelente maneira de controlar o ganho de peso para mulheres que estão com sobrepeso, e para aquelas que apresentam peso normal, pode controlar o ganho de peso durante a gravidez.

A mulher deve realizar exercícios aeróbicos leves e moderados, variando a frequência semanal conforme seu nível de aptidão, isto é, se ela era sendentária ou ativa antes de engravidar.

Lembramos também que o acompanhamento nutricional nesses casos é primordial para saúde da mãe e do bebê.

* dica: para realizar o cálculo de IMC acesse www.metodomaisvida.com.br

* texto baseado no artigo científico “Obesidade e Gravidez” que encontra-se disponível na sessão de artigos científicos desse site.

Mattar, R., Torloni, M.R., Betrán, A.P., Merialdi, M. Obesidade e Gravidez. Rev Bras Ginecol Obstet. 2009; 31(3):107-10.

GANHO DE PESO DURANTE A GRAVIDEZ – BENEFÍCIOS DO EXERCÍCIO

26-mai-09

Profa. Ms. Gizele Monteiro

Um dos maiores medos da mulher na gestação é engordar e é comum ouvirmos mulheres dizendo que engordaram 20-25 kilos durante a gravidez. Além da estética será que existe algum perigo para o excessivo ganho de peso durante a gravidez, existe riscos para a mulher e para o bebê associados a esse aumento de peso?

De fato a mulher tem que aumentar o seu peso e esse é distribuído entre o conteúdo feto-placentário e mais os tecidos da mulher que também aumentam como coração, mamas, líquidos, e é claro, a gordura.

Durante a gestação, existem duas fases metabólicas bem definidas:

- Ganho de Peso na Gravidez (no primeiro e segundo trimestres)

No primeiro e segundo trimestres há o crescimento fetal mínimo e nessa fase há o grande perigo do aumento da gordura porque a mãe além do metabolismo alterado, ela tem mais fome e come mais, processo denominado hiperfagia, resultando então no aumento do peso corporal materno, especificamente pelo grande acúmulo de gordura. Portanto o ganho de peso na gestação se dá pelas mudanças teciduais e gordura.

Uma das maravilhas é que todo esse processo faz com que a mulher durante a gestação poupe sua glicose para o seu bebê. Há uma inversão metabólica em seu organismo fazendo com que ela estoque gordura para ter alimento para ela e disponibilizando dessa forma a quantidade adequada de glicose para crescimento e formação do bebê.

- Ganho de Peso na Gravidez (no último trimestre)

No último trimestre, há o intenso crescimento fetal, que é sustentado pela transferência de nutrientes da circulação materna. O acúmulo de gordura cessa e em muitos casos, há até queda nos depósitos de gordura. Especialmente nesse período (terço final), os pesos fetal e placentário aumentam aceleradamente elevando as necessidades calóricas à custa do metabolismo materno.

Iniciar a gestação com sobrepeso, obesidade ou ganhar peso excessivo durante, são fatores de risco e podem levar a gestante ao desenvolvimento de hipertensão arterial e pré-eclâmpsia. Há o risco também de desenvolvimento de diabetes gestacional que está associado a um crescimento fetal exagerado (macrossomia fetal). Essas situações podem provocar riscos obstétricos durante o parto e obesidade pós-parto. Cerca de 45% das mulheres obesas no mundo ganharam peso após a gravidez.

Benefícios do Exercício na Gestação

Um dos benefícios com a prática de exercícios na gestação é auxiliar no controle do ganho de peso, controlando dessa forma o ganho de gordura (aumento da adiposidade).

O controle no ganho de peso durante gravidez também está associado a um melhor controle da pressão arterial, prevenindo pré-eclâmpisa e eclâmpsia; e prevenção de diabetes gestacional.

Todos esses benefícios levam a redução de complicações no parto, favorecendo a saúde da mulher e do bebê.

O Mais Vida Gestantes® – Programa de Exercícios Físicos para Gestantes foi especialmente desenvolvido para dar um atendimento seguro e eficaz durante a Gravidez e Pós-parto, direcionado por profissionais altamente qualificados levando a mulher a uma gestação saudável e com a disposição necessária para a mulher moderna.