Conteúdos sobre atividade física na gravidez

CORRIDA NA GRAVIDEZ

08-jul-09

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante

Corrida na Gravidez - by Gizele Monteiro

Corrida na Gravidez – by Gizele Monteiro

Corrida na Gravidez – continuar ou parar?

Como muitas gestantes me procuram com esta dúvida, resolvi escrever sobre a Corrida na Gravidez.

O período gestacional causa mudanças em todo o organismo da mulher. Existem modificações cardiovasculares, respiratórias, metabólicas, termorregulatórias, hormonais e músculo-esqueléticas que levam a grandes alterações biomecânicas. Todas essas alterações devem ser observadas durante a prescrição de qualquer exercício nesse período.

Muitas mulheres têm dúvidas se podem correr durante a gravidez. Pesquisadores internacionais não proíbem a corrida na gravidez, no entanto alertam para que realize essa atividade quem já estava acostumada a realizá-la. Quem nunca fez atividade física, não deve iniciar com corrida na gravidez, essas devem buscar atividades sem impacto como caminhar, pedalar ou realizar atividades com exercícios localizados, alongamentos e com objetivos posturais.

A atividade aeróbica auxilia no controle do ganho de peso durante a gravidez e também ajuda a manter a aptidão física, além de estar associada a prevenção de doenças nesse período.

Devido as grandes alterações cardiovasculares que ocorrem ao longo da gestação, o profissional deve conhecer muito bem a fisiologia gestacional para que saiba como adequar a intensidade, duração e o volume semanal e mensal dessa atividade, sempre de acordo com as mudanças mensais e trimestrais que irão ocorrer. Somente dessa forma o exercício será seguro para a mãe e o bebê.

Algumas mulheres conseguem permanecer correndo normalmente até o 8o mês de gravidez, mas isso não é uma regra. Caso a gestante sinta desconforto poderá parar ou intercalar com outra atividade de menor impacto.

Qualquer liberação para o exercício físico, seja qual for ele, sempre deverá ser feito após uma avaliação da saúde materno-fetal do seu obstetra e o acompanhamento clínico durante este período é fundamental.

GANHO DE PESO DURANTE A GRAVIDEZ – BENEFÍCIOS DO EXERCÍCIO

26-mai-09

Profa. Ms. Gizele Monteiro

Um dos maiores medos da mulher na gestação é engordar e é comum ouvirmos mulheres dizendo que engordaram 20-25 kilos durante a gravidez. Além da estética será que existe algum perigo para o excessivo ganho de peso durante a gravidez, existe riscos para a mulher e para o bebê associados a esse aumento de peso?

De fato a mulher tem que aumentar o seu peso e esse é distribuído entre o conteúdo feto-placentário e mais os tecidos da mulher que também aumentam como coração, mamas, líquidos, e é claro, a gordura.

Durante a gestação, existem duas fases metabólicas bem definidas:

- Ganho de Peso na Gravidez (no primeiro e segundo trimestres)

No primeiro e segundo trimestres há o crescimento fetal mínimo e nessa fase há o grande perigo do aumento da gordura porque a mãe além do metabolismo alterado, ela tem mais fome e come mais, processo denominado hiperfagia, resultando então no aumento do peso corporal materno, especificamente pelo grande acúmulo de gordura. Portanto o ganho de peso na gestação se dá pelas mudanças teciduais e gordura.

Uma das maravilhas é que todo esse processo faz com que a mulher durante a gestação poupe sua glicose para o seu bebê. Há uma inversão metabólica em seu organismo fazendo com que ela estoque gordura para ter alimento para ela e disponibilizando dessa forma a quantidade adequada de glicose para crescimento e formação do bebê.

- Ganho de Peso na Gravidez (no último trimestre)

No último trimestre, há o intenso crescimento fetal, que é sustentado pela transferência de nutrientes da circulação materna. O acúmulo de gordura cessa e em muitos casos, há até queda nos depósitos de gordura. Especialmente nesse período (terço final), os pesos fetal e placentário aumentam aceleradamente elevando as necessidades calóricas à custa do metabolismo materno.

Iniciar a gestação com sobrepeso, obesidade ou ganhar peso excessivo durante, são fatores de risco e podem levar a gestante ao desenvolvimento de hipertensão arterial e pré-eclâmpsia. Há o risco também de desenvolvimento de diabetes gestacional que está associado a um crescimento fetal exagerado (macrossomia fetal). Essas situações podem provocar riscos obstétricos durante o parto e obesidade pós-parto. Cerca de 45% das mulheres obesas no mundo ganharam peso após a gravidez.

Benefícios do Exercício na Gestação

Um dos benefícios com a prática de exercícios na gestação é auxiliar no controle do ganho de peso, controlando dessa forma o ganho de gordura (aumento da adiposidade).

O controle no ganho de peso durante gravidez também está associado a um melhor controle da pressão arterial, prevenindo pré-eclâmpisa e eclâmpsia; e prevenção de diabetes gestacional.

Todos esses benefícios levam a redução de complicações no parto, favorecendo a saúde da mulher e do bebê.

O Mais Vida Gestantes® – Programa de Exercícios Físicos para Gestantes foi especialmente desenvolvido para dar um atendimento seguro e eficaz durante a Gravidez e Pós-parto, direcionado por profissionais altamente qualificados levando a mulher a uma gestação saudável e com a disposição necessária para a mulher moderna.

Atividade Física na Gravidez

26-abr-09

Por Gizele Monteiro – personal gestante

A diminuição da atividade física na gravidez é comum ocasionando a queda no nível de aptidão física da mulher. Desta forma, é interessante que as mulheres realizem atividade física na gestação.

De acordo com o Colégio Americano de Ginecologia e Obstetrícia (ACOG) a recomendação de exercícios na gravidez para mulheres sem complicações obstétricas é a mesma recomendada pelo Centro de Controle de Doenças e Colégio Americano de Medicina Esportiva (CDC/ACMS), ou seja, acumular pelo menos 30 minutos de exercícios moderados todos os dias.

Há uma necessidade de alterações nos programas de exercício devido as mudanças endócrinas, cardiovasculares e posturais ocorridas durante o período gestacional, e para isso o acompanhamento de profissionais de Educação Física capacitados e que entendam essas mudanças, deve ser primordial. Neste momento a individualidade da mulher gestante deve ser respeitada para não colocar em risco o binômio mãe-feto.

Os benefícios de exercícios físicos bem orientados são diversos e atingem diferentes áreas do organismo materno.

Benefícios do exercício na gestação:

  1. Reduz e previne as lombalgias,
  2. Controle da adiposidade e do ganho de peso gestacional,
  3. Controle da pressão arterial, diminuir o inchaço,
  4. Aumento ou manutenção a aptidão física,
  5. Atuar na melhora da saúde psicológica, como auto-imagem, ansiedade, bem estar e humor.

Estudos epidemiológicos ainda relatam a diminuição de riscos de diabetes gestacional e pré-eclâmpsia em mulheres que mantêm maiores níveis de atividade física antes e durante a gestação.

Desta forma, recomenda-se um estilo de vida ativo a ser adotado por mulheres gestantes, pois assim além de uma gravidez saudável proporciona uma recuperação mais rápida no pós-parto.

Referências

ACOG (American College of Obstetricians and Gynecologists). Committee on Obstetric. Exercise during pregnancy and the postpartum period. Pratice Bulletin. Number 267. Am Col Obstet Gynaecol. 2002; 99:171-173.

JOINT SOGC/CSEP CLINICAL PRACTICE GUIDELINE. Exercise in pregnancy and the postpartum period. JOGC. 2003; 129:1-7.