Conteúdo de setembro/2010

Curso para Gestante (videos)

28-set-10

Mais Vida Gestantes informando a mamãe …

Selecionamos 3 videos de Curso para Gestantes.

Os 2 primeiros são parte de um curso composto de 21 aulas online, dadas por profissionais de saúde de uma das mais prestigiadas maternidades do país, a do Hospital Israelita Albert Einstein.

O terceiro foi elaborado pela Revista Crescer e mostra um pouco dos bastidores de um curso, informações passadas, dúvidas frequentes do casal, o banho e a troca do bebê.

Você terá a oportunidade de conhecer um pouco das informações fornecidas sobre a sua gestação, o parto e os primeiros cuidados com o recém-nascido.

Primeiro Video


 

 Segundo Video

Você pode encontrar o curso com as 21 aulas no site: http://bebe.abril.com.br/ferramentas/curso-de-gestantes/ 

 

Terceiro Video

Distúrbio alimentar na gestação (pregorexia): condição que precisa ser prevenida e remediada

22-set-10
Distúrbio Alimentar na Gestação: condição que precisa ser prevenida e remediada
 
Texto postado por Cinthya Leite | 17 de setembro de 2010

Você já ouviu falar em pregorexia? Não?!? Nem eu – até ontem. Num material de divulgação sobre o 14º Congresso Brasileiro de Nutrologia em São Paulo, aprendi que pregorexia é um transtorno alimentar de alto risco que se manifesta durante a gravidez. Em miúdos: a futura mamãe passa a ter uma mania tão frenética por dieta que o bebê passa a ter risco de ter algum problema.

A pregorexia abre portas para uma gestação de risco, com aumento da incidência de nascimentos prematuros e crescimento fetal restrito (Foto: Divulgação) 

Trata-se de uma condição caracterizada pela diminuição drástica e radical das calorias do cardápio e pela realização de atividades físicas em excesso com objetivo de controlar o peso durante a gestação. O assunto foi abordado ontem (16/9), no evento, pela médica nutróloga Maria Del Rosario, que é diretora da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran). 

“O termo pregorexia deriva das palavras pregnancy, que significa gravidez em inglês, e eorexia, de orexis, que significa apetite”, explica a médica. Segundo ela, não existe uma tradução específica para o português – a maior aproximação seria “gravidorexia”.

“A pregorexia foi abordada recentemente no Journal of the American Dietetic Association“, diz a especialista.

Clique aqui para ir diretamente ao site do JADA. O estudo é de Jennifer Mathieu e saiu em junho de 2009 – volume 109, páginas 976-979)

Para Maria Del Rosario, a valorização cultural da magreza e a pressão exercida pela sociedade, com imagens de mulheres grávidas magérrimas, geralmente famosas que aparecem na mídia, contribuem para o início dos quadros de pregorexia.

A médica ainda salienta que o estado nutricional da grávida é reconhecido como um importante fator para uma gestação saudável e sem complicações. O índice de massa corporal (IMC) baixo e a falta de nutrientes podem ser indicadores de uma gravidez de risco, com aumento da incidência de nascimentos prematuros e crescimento fetal restrito.

“Há também um risco maior de mortalidade materna”, ressalta. “As grávidas que já tiverem algum transtorno alimentar podem ter outros problemas mais graves, como complicações cardiovasculares, digestivas, endócrinas, hematológicas e ósseas”, complementa. 

Diagnóstico precoce

De acordo com a médica, os especialistas nutrólogos precisam estar atentos para saber diagnosticar e diferenciar as mulheres com sintomas de transtorno alimentar daquelas que estão só com um descontentamento da imagem corporal durante a gravidez.

O tratamento deve ser sempre interdisciplinar (inclui médicos nutrólogos, psiquiatras, psicólogos e nutricionistas). “Quanto antes for diagnosticado o quadro, maior a possibilidade de recuperação total”, garante Maria Del Rosário.

Ela destaca que a avaliação e o tratamento nutrológico, com o diagnóstico das deficiências de nutrientes, vitaminas e minerais, são fundamentais para adequar o melhor aumento de peso durante a gravidez, de acordo com as características de cada grávida.

“É importante lembrar que as dietas da moda e os planos de exercícios físicos exagerados durante a gravidez e sem acompanhamento médico adequado podem causar consequências graves à saúde”, completa. Ela informa ainda que o ganho de peso durante a gravidez deve ser levado em conta o peso inicial da mulher.

* Com informações da Barcelona Soluções Corporativas e Relações Institucionais

Curso para prescrição de exercícios na Gravidez e Pós-parto – Mais Vida Gestantes

21-set-10

MAIS VIDA GESTANTES - NOSSO CURSO PARA PROFISSIONAIS CHEGOU EM BRASÍLIA!

 

Em parceria com o Programa Dani Rico, referência no mercado de Brasília, buscamos estamos realizando o primeiro curso para a formação de profissionais para trabalherem com exercícios na gravidez e pós-parto.

Nosso objetivo é colocar um profissional diferenciado no mercado, proporcionando à gestante um atendimento diferenciado, com qualidade e segurança.

Estamos com o curso remodelado para melhor atender ao profissional:

- seja um Personal Gestantes - profissional especializado em programa pré-gravidez, gravidez e pós-parto

- trabalhe “com grupos” de forma segura e diferenciada para gravidez e pós-parto

- prescrição para gestação saudável e de risco (hipertensão, diabetes, etc).

A Certificação no método Mais Vida Gestantes® é um modelo que compreende a formação e gestão de profissionais para atuar na prescrição físicos seguros, com qualidade e de forma individualizada para as 3 fases do período gestacional: Pré-gravidez, Gravidez e Pós-parto.

Nosso curso é aprovado e certificado pelo Cref7.

mais vida gestantes brasilia 

 

 

Corpo Docente

Profa. Ms. Gizele Monteiro
Profa. Daniela Rico
 
Convidados: Dra. Ivani Manzzo Sagesser, Fisioterapeuta Vanessa Marques entre outros.

 

I Caminhada Gestante Ativa Rio – Um incentivo ao bem-estar

20-set-10

I CAMINHADA “GESTANTE ATIVA” RIO

Um incentivo ao bem-estar

  

caminhada_gestante_ALTA

O Mais Vida Gestantes e a Zazou – Moda Gestante sempre buscando a inovação e o pioneirismo para atender suas clientes, juntamente com a assessoria esportiva para mulheres Proativa Club do Rio de Janeiro realizam o evento: I Caminhada “GESTANTE ATIVA” Rio – Um incentivo ao bem-estar.

O evento irá proporcionar um dia agradável e marcante para a mamãe com caminhada, alongamento, massagem, sorteios e brindes.

Nossos objetivos:

Promover o bem-estar por meio do exercício físico com um dia cheio de novidades na companhia de outras gestantes, aprendendo como controlar seu exercício para torná-lo seguro e saudável.

Uma gestação ativa é sempre uma de nossas metas, pois o exercício é uma forma saudável de controlar o peso, prevenir doenças gestacionais e manter o bem-estar e a saúde da mamãe e do bebê.

  

- Data: 17 de outubro de 2010

Horário de início: concentração às 9 horas – início 9:20 horas 

Local: Lagoa Rodrigo de Freitas (em frente ao Monte Líbano e Jardim de Alah) – Trajeto e distância percorrida: Lagoa - 2 Km          

Por se tratar de um evento aberto e gratuito, é preciso que a mamãe faça sua inscrição para que participe dos sorteios e para que possamos sempre manter a organização e atender todas as inscritas com qualidade, uma de nossas marcas

  

PROCEDIMENTOS:

Inscrições: As inscrições serão realizadas pelo e-mail – contato@proativaclub.com.br para que possamos ter um controle do número de pessoas para participarem do café, para os brindes e sorteios que ocorrerão no dia.

Informações: (21) 7820.90.71 / 3242.33.34

Logística local: tenda com massagista, local para realizar exercícios de alongamento,  fotos do evento e das gestantes, etc.

 

Slide1 

 

 

Saiba mais:

http://metodomaisvida.com.br/conteudo/2/

http://blog.zazou.com.br

http://proativaclub.blogspot.com

http://gravidezabsoluta.com.br

Amamentação e o retorno ao trabalho. Como fazer? Veja a dica da nossa parceira Leite Fácil

16-set-10
Leitefacil_logojpegO Mais Vida Gestantes sempre procura oferecer dicas e orientações para suas clinetes e para mulheres que buscam informações.

Segue um artigo muito interessante e importante para um dos momentos mais difícies para a nova mamãe, a separação do seu bebê para retornar ao trabalho e como manter a amamentação.

O Leite Fácil, uma das empresas parceiras do Mais Vida Gestantes pode auziliar nesse processo.

Amamentação no retorno ao trabalho

Um dos momentos mais dolorosos na relação da mãe com o seu bebê é no retorno ao trabalho, pois ocorre a separação mãe/filho. Fica a preocupação com os cuidados de seu bebê, o responsável na sua ausência, a alimentação, em especial com o leite materno e a quantidade que o bebê mama entre outras questões.

O ideal é se preparar 30 dias antes do retorno ao trabalho e dividir a preparação em 02 quinzenas:

1ª quinzena – Triagem -Saber quanto o bebê mama.  Como saber: Retire uma quantidade do seu leite com o extrator de leite materno e ofereça aos poucos ao bebê. Anote tudo, assim você saberá qual a quantidade que o seu bebê está mamando a cada mamada. – Oriente o responsável que cuidará do bebê na sua ausência.  2ª quinzena – Colocar em prática todo o aprendizado da 1ª quinzena  -Iniciar o congelamento do leite materno por no máximo quinze dias. 

Na empresa Leitefacil você encontra um programa objetivo com todas as informações necessárias para tornar o retorno ao trabalho mais tranquilo.

 

Contato da empresa: atendimento@leitefacil.com.br

Por: Eliana Araujo – Técnica em Enfermagem e proprietária da Leitefacil, empresa pioneira no ramo de locação de equipamentos para aleitamento materno e orientação para mães no pós-parto.

Mãe adotiva também pode amamentar

15-set-10

Mãe adotiva também pode dar o peito

Conheça mulheres que amamentaram sem nunca ter engravidado

Fernanda Aranda, iG (22/06/2010)

Cristina Marinho Martins celebrou o primeiro encontro com o filho com uma olhada bem no fundo dos olhos daquele bebê. Ninou Thiago, desabotoou a blusa e ofereceu seu peito como alimento e prova de amor. Ali, diz ela, selava um pacto de cumplicidade mútua.

 

Foto: Getty Images

Amamentar é uma possibilidade mesmo para mães adotivas, dizem os médicos

João Pedro foi outro protegido pela vacina natural que sai do seio materno – arma poderosa contra as doenças da infância – no instante em que conheceu a mãe Tatiane Fernandes. A mamada de boas-vindas foi rápida, mas intensa. Representou o vínculo da nova família que nascia.

Cristina e Tatiane são exemplos de mulheres que desfrutaram o gosto da maternidade por meio da amamentação com a particularidade – que para elas é só um detalhe – de nunca terem gerado uma criança. Thiago e João Pedro, hoje com 5 e 2 anos, viraram garotões saudáveis com leite materno sem nunca terem mamado em quem os deu à luz.

Os quatro não são exceções da medicina e nem representam um fenômeno raro. Os médicos descobriram que as mães adotivas podem, sim, amamentar da forma tradicional. A constatação dos especialistas começa a ganhar os lares de famílias adotivas e se transformar numa recomendação de saúde para as mães que estão dispostas a adotar.

“Antigamente a chamada amamentação adotiva era uma possibilidade cheia de mistérios, não se sabia como trabalhar, existia medo e receio”, afirma Marcus Renato de Carvalho, professor de pediatra da Universidade Federal do Rio de Janeiro e consultor em amamentação pela International Board Certified Lactation Consultants. “Hoje em dia é um método aprovado, os profissionais de saúde já dominam a técnica e divulgam essa possibilidade. Todos os meses recebo dezenas de mães adotivas querendo amamentar seus filhos tradicionalmente. Muitas conseguem.”

Empenho à luz do sol

A possibilidade de ter leite natural mesmo sem passar pela bomba hormonal trazida pela gestação começa, primeiro, com vontade e disposição de realizar o ato. Empenho é a palavra de ordem, inclusive para as mulheres que geraram os bebês, já que uma pesquisa da Fiocruz divulgada no início do ano mostrou que 44% delas falham na amamentação.

“É claro que muitos fatores são influentes na amamentação adotiva. Quanto mais nova é a criança, maior é a chance do aleitamento ser possível. Alguns medicamentos estimulam a produção do hormônio do leite, a prolactina. As massagens e o estímulo com bombas e equipamentos também ajudam a induzir o aleitamento”, pontua Carvalho.

Tatiane fez tudo o que o médico indicou e também tomou sol nos bicos do peito, técnica que funciona para preparar a mama – já que a aréola não é preparada pela pigmentação trazida pela gravidez.

“Mas nada foi tão estimulante quanto enxergar as transformações resultantes da insistência de oferecer o peito à boca do João Pedro”, conta.

O nenê sugava o alimento – que primeiro saia ralinho e depois ficou mais espesso – dormia um sono gostoso e crescia a cada dia. Ao mesmo tempo, ela esquecia das mamas doloridas, suportava o cansaço das noites mal dormidas e experimentava a sensação plena de ser mãe em cada mamada.

“Soube aos 14 anos que não poderia gerar uma criança por um problema no sistema reprodutivo. Mas nunca duvidei que seria mãe.” A amamentação deixava a convicção de Tatiane explícita a qualquer um que fazia uma visita ao recém-chegado João Pedro.

As vantagens

As mães Cristina e Tatiane tiveram algumas vantagens que contribuíram para o êxito da amamentação dos filhos não gerados em seus ventres. Elas não engravidaram, mas tiveram um tempo para se preparar para a chegada de seus bebês. “No meu caso”, explica Cristina Martins, “sabia que não poderia engravidar. Minha irmã fez a inseminação artificial com o sêmen do meu marido. Acompanhei de perto a gestação e durante todo o processo estimulei as mamas. Quando o Thiago nasceu, eu já tinha leite”, conta.

Já o filho de Tatiane foi gerado por fertilização in vitro no ventre da avó materna. “Durante a espera do João Pedro, eu até engordei junto! Só não tive enjôo, mas o resto senti na pele”, conta ela, que refere à gestação da mãe, na época com 42 anos, como “a nossa gravidez”.

Recomendação universal

Mesmo que não conheçam a mãe biológica dos filhos do coração, todas as mães adotivas podem tentar amamentar, recomenda a pesquisadora do Instituto de Saúde de São Paulo e uma das principais referências em amamentação do País, Marina Ferreira Réa.

“Não dá para atestar que todas terão sucesso. Se o bebê chega com mais de quatro meses, por exemplo, o processo é ainda mais lento, mas não impossível”, informa, incentivando a persistência. “É sempre bom lembrar que o leite materno de uma mulher que engravidou tem a mesma qualidade do leite produzido por uma mulher que estimulou a amamentação. Os dois tipos são essenciais para criança, completos e uma forma bem eficiente de criar vínculo entre mãe e filho.”

Fórmula mágica

Tatiane diz que tentaria amamentar João Pedro todos os dias, mesmo que o leite não saísse. “Já iria valer só pelos momentos que tivemos juntos, aquela hora só nossa, tão importante para a nossa relação.” Cristina é adepta da mesma teoria e o especialista da UFRJ Marcus Renato Carvalho não tem só as evidências científicas para aplaudir a persistência de todas as mães adotivas que vão ao seu consultório querendo alimentar seus filhos. “É uma experiência pessoal”, arremata.

Após o término da entrevista, Carvalho confidenciou ao Delas que é a prova viva da possibilidade do aleitamento materno adotivo. Aos 11 anos de idade, Carvalho descobriu que era adotado “sem drama”, afirma. Ao saber a origem da sua história um outro capítulo foi revelado: sua mãe adotiva, durante as longas noites embaladas pelo choro interminável daquele garoto rejeitado pela mãe biológica, ofereceu o peito como tentativa de alento. Marcus Renato Carvalho mamou.

O médico que hoje ajuda mães “do coração” a amamentar seus filhos, autor de vários livros sobre o tema e pesquisas na área, é um exemplo de que a amamentação por mães que nunca engravidaram é um sonho possível. Ele descobriu isso lá nos anos 50, época em que nem mesmo a medicina, sua devoção futura, tinha se convencido desta possibilidade.

Os passos do aleitamento da mãe adotiva

- Se vai adotar uma criança e deseja amamentá-la tradicionalmente, informe isso ao seu médico

- O processo é lento e requer empenho. Faça massagens nos seios, tome sol com eles descobertos (fora dos horários de sol intenso) e também se informe sobre os aparelhos que fazem o bombeamento das mamas com foco na estimulação.

- Com orientação médica, há a possibilidade de usar medicações que estimulem a produção de prolactina, hormônio do leite materno

- Nos bancos de leite, são mais de 150 espalhados pelo País, os profissionais são habilitados a dar informações sobre isso. Veja os endereços

- Ao iniciar a amamentação, é possível que o bebê precise de complemento na alimentação. Uma técnica é usar uma sonda bem fininha. Coloque uma ponta das sondas no copo e a outra próxima ao bico do seu seio. O nenê ao mesmo tempo que suga o peito, recebe o leite do copinho. Com o tempo e estímulo, ele vai passar a beber menos do copo e mais do peito.

Fonte: http://delas.ig.com.br/saudedamulher/mae+adotiva+tambem+pode+dar+o+peito/n1237670374086.html

Ginástica para Gestantes – atividade em grupo Mais Vida Gestantes

12-set-10

GINÁSTICA PARA GESTANTES – atividade em grupo

Uma atividade em grupo é excelente para descontrair e motivar, mas a primeira coisa a se observar é se o médico libera para a realização de exercícios. Após esse passo a gestante está liberada para a atividade, porém todo o controle e conhecimento também deve ser levado em consideração.

As aulas devem ser programadas e direcionadas para as necessidades gestacionais, havendo sempre a ação em diferentes grupamento musculares e também exercícios com objetivos e materiais diferentes. Mesmo uma gestante sedentária pode iniciar, mas sempre com o controle do profissional que irá atendê-la.

As aulas de Ginástica para Gestantes são compostas de exercícios que tenham um objetivo para a melhora da condição aeróbica, mas principalmente é composta de exercícios de fortalecimento, os chamados localizados, e exercícios de alongamento, que promovem o relaxamento e ação em músculos sobrecarregados pelas mudanças posturais. Ambos são muito importantes para qualquer gestante.

Esses exercícios proporcionam o equilíbrio para grupamentos musculares sobrecarregados pelas mudanças posturais, tanto em força quanto no relaxamento. Os exercícios de alongamento não podem ser esquecidos e devem fazer parte de um programa de Ginástica para Gestantes.

Novas tendências para a GINÁSTICA PARA GESTANTES – TREINAMENTO FUNCIONAL (TF)

Com força total o treinamento funcional é uma atividade que vem ganhando espaço no mercado e com certeza deve fazer parte da composição de um programa de Ginástica para Gestantes. O  treinamento funcional veio para ficar, pelo menos por alguns anos essa modalidade estará na lista das academias e prioridade dos profissionais.

No treinamento funcional existe uma variação muito grande de exercícios e equipamentos (materiais) que podem ser utilizados. O profissional deverá conhecer muito bem cada exercício e material para adaptá-lo para a gestante. Não são todos que ela poderá fazer. As grandes instabilidades e exercícios arriscados devem ser tirados do quadro de exercícios selecionados. Na gravidez a orientação deve ser sempre a segurança da gestante não só pela superfície mais estável (normalmente quanto mais instável no TF mais eficiente é o exercício), mas também pelo grau de dificuldade ou ação do exercício. É importante que o profissional conheça bastante da gravidez e do treinamento funcional para aplicá-lo. O método Mais Vida Gestantes® tem profissionais capacitados para trabalhar com toda a segurança necessária para a gestante.

 

UMA DÚVIDA – A GESTANTE PODE FAZER ABDOMINAS?A pregnant young woman doing exercises

 

Existe ainda divergências nas opiniões dos especialistas sobre a realização do exercício abdominal para gestantes.

Existem 3 tipos de opiniões:

1. os acham que eles devem ser restringidos durante a gestação,

2. os que acreditam que no início da gravidez a mulher pode fazer abdominais sem causar nenhum prejuízo ao feto, mas à medida que a barriga for crescendo, mesmo se ela quiser, não conseguirá mais, pelo desconforto.

3. os que acham importante por propiciarem uma boa tonificação da parede abdominal, ajudando a sustentar o abdômen grávido, a melhorar a postura da gestante e fortalecidos serão de especial importância para o trabalho de parto.

Independente da opinião ou literatura adotada pelo profissional que prescreverá para a gestante, a opinião do médico deverá ser respeitada em primeiro lugar, portanto a gestante deverá ter a liberação médica.

Existe ainda a considerar:

- o nível de aptidão da gestante, isto é, se ela era sedentária ou ativa antes de engravidar. Gestantes sedentárias terão bastante dificuldade no aprendizado do exercício e não terão o nível de força adequado para realizá-lo, portanto não é interessante esses exercícios para gestantes em histórico anterior de exercício.

- a posição adotada no exercício abdominal, chamada “posição supina ou decúbito dorsal”. A execução do abdominal nessa postura deve ser evitada porque o útero com o peso do bebê pode comprimir a veia cava, limitando o fluxo de sangue e oxigênio para a mãe e o bebê. Mas isso não significa que estejam completamente excluídos todos os exercícios relacionados com a barriga, o que deve ser evitado é a posição, modificando-a.

Além da posição que deve ser mudada com o avanço dos meses e aumento do volume abdominal a gestante poderá não conseguir realizar os exercícios por desconforto ou perda de força devido o afastamento dos músculos abdominais.

Uma das estratégias seria realizar os exercícios abdominais na posição semi-deitada ou sentada, desde que não comprometa a postura e nem seja realizado de forma incorreta.

- com a extensibilidade da musculatura abdominal no avançar da gestação, só o fato de manter a contração, o controle dessa musculatura durante a execução nos vários exercícios,  já podemos consider que a gestante está realizando um exercício abdominal.

“Não é indicado portanto realizar os exercícios abdominais na forma tradicional”.

 

Método Mais Vida Gestantes – Programa de exercícios Pré-gravidez, Gravidez e Pós-parto oferece na academia ACTIVA – academia credenciada e parceira de nosso programa aulas de ginástica para gestantes e mulheres no pós-parto.

HORÁRIOS: segunda à sexta: 8:30 e 10:30hs

Saiba mais:

e-mail – contato@gizelemonteiro.com.br

Fone - (11) 2867.3307 / 7871.4162

 

PROGRAMA PRÉ-GRAVIDEZ

Para quem planeja sua gravidez o programa deve ter como foco a preparação física do corpo da mulher, seja no sentido de perda de peso, como também no fortalecimento dos grupamentos musculares que serão sobrecarregados nesse momento. Por isso os programas são com objetivos, intensidades e volumes diferentes.

PROGRAMA PÓS-PARTO – GINÁSTICA PARA PÓS-PARTO – aula em grupo

Novamente dentro de um conceito inovador o método Mais Vida Gestantes® traz a ginástica para mulheres no Pós-parto em grupo. Semelhante a Ginástica para Gestantes, com todo os cuidados que a mulher nesse período precisa. Um foco no fortalecimento do músculo abdominal, músculos posturais e do assoalho pélvico, tudo com critérios de segurança para que a mulher não comprometa sua saúde e sua amamentação.

 

 

Entrevista com Dr. Renato Kalil

10-set-10

“Fazer parto normal virou desafio”

 
 
O ginecologista e obstetra Renato Kalil, que atende nos hospitais São Luiz e Albert Einstein, em São Paulo, é considerado um dos maiores estimuladores do parto vaginal no sistema privado. Tem no seu currículo partos em socialites, modelos e empresárias.Em 2005, ele afirma que registrou um aumento de dez pontos percentuais nos partos normais em relação a 2004 -43% para 53%. Kalil diz que, além do prazer do nascimento natural, fazer parto vaginal virou um desafio.Segundo Kalil, muitos médicos acabam amedrontando suas pacientes, especialmente as que passaram por cesáreas anteriores, a fazer um parto vaginal, alegando que o útero pode romper. A seguir, trechos da entrevista: 

Folha – Os médicos não querem ou não sabem fazer parto normal?
Renato Kalil – Quando você faz muito parto normal desde a residência médica, você desenvolve habilidade para a coisa, o que a gente chama de “”ter mão”. Quando tem mão, não tem medo. Quando você não tem mão e o chefe de plantão não está ao lado, você opta pela cesariana porque tem medo de eventuais complicações, que possam levar a um fórceps, por exemplo. Hoje, se o trabalho de parto está demorado ou o nenê é grande, os médicos logo indicando a cesárea. E, quanto mais cesárea você faz, menos mão [para parto normal] você tem.
Se você só opera, opera, opera, você tem medo de arriscar e aí não arrisca e opera. E, se você não passa segurança para a mulher, ela não acredita mais em você.

  

Folha – E a questão econômica, não conta?
Kalil – Sim, conta e muito. Tem muito médico no mercado, e não há mercado para todos. Hoje, o desespero de um recém-formado é tentar entrar num convênio vagabundo -nem isso ele consegue. Se ele trabalha num convênio, ele não consegue ficar seis horas tocando um trabalho de oito, dez, 13 horas. Ele precisa tocar o consultório dele, onde a consulta é de R$ 22. Já no parto, vai ganhar os mesmos R$ 470, seja o normal ou seja a cesárea.

 

Folha – As pacientes querem a cesárea?
Kalil – A mulher já vem predisposta à cesárea. Em geral, porque as amigas fizeram cesárea e ficam enchendo a cabeça dela de abobrinhas, dizendo que o parto vaginal dói muito etc. Aí junta com o lado do médico que ganha a mesma coisa. Ou seja, juntou o útil ao agradável.

  

Folha – O sr. acha que remunerar melhor o médico poderia melhorar os índices de parto normal?
Kalil – Há alguns anos, os convênios começaram a divulgar que iriam melhorar um pouco a remuneração do parto normal. Coisa de uns R$ 50. Sabe o que aconteceu? Começou a ter mais trauma de parto, muitas fraturas de clavícula, por exemplo. Os médicos começaram a forçar o parto normal. Se você não tem segurança, vá treinar. Não indique parto normal se não tem confiança de fazê-lo. A educação tem que ser na faculdade. Não adianta pegar médico formado e obrigá-lo a fazer parto vaginal.

Fonte: Folha de São Paulo

Saiba mais sobre o Dr. Renato Kalil – http://www.renatokalil.com.br/

 

Carinhas no Dia da Gestante em São Paulo

08-set-10

A Carinhas do Rio de Janeiro que trabalha com ilustrações e cria produtos maravilhosos para vários ocasiões (casamentos, chá de bebê, aniversários, datas comemorativas, produtos corporativos, entre muitos outros) esteve conosco no Dia da Gestantes, realizado em São Paulo e organizado pelo Mais Vida Gestantes juntamente com a academia Activa e o Roteiro das Grávidas.

Eles destacaram em seu blog o evento e já estarão conosco na I Caminhada Rio - Gestante Ativa.

Mamães cariocas, preparem-se, pois o evento novamente promete. Além da caminhada, mutos brindes e presentes preparados especialmente para vocês.

Segue o post …

Carinhas no Dia da Gestante! Oi Gente,

Fomos convidados pela Gizele Monteiro, diretora do Mais Vida Gestantes, para participar de um dia muito especial: o Dia da Gestante, que aconteceu em São Paulo dia 14 de agosto! Junto de outras empresas que cuidam de bebês com o maior Carinho, distribuimos fofurices e presentes!

Aqui a Gizele e a mamãe Syang que está grávida da Nina e também tem a pequena Manuela. As duas fofas ganharam um ursinho da nossa coleção Carinha de Bebê pra cada uma!

Aqui as mamães participando e um mimo que foi sorteado: body da coleção Carinha de Bebê! Aproveite para passar aqui e conhecer a coleção toda!

Alô mamães cariocas! O evento aqui no Rio de Janeiro acontecerá dia 17 de outubro e as Carinhas também estarão por lá! Acompanhem os detalhes no blog da Gizele!

Você sabe o que é um Personal Gestante?

07-set-10

Profa. Ms Gizele Monteiro

Especialista em prescrição de exercícios para Gestantes – Pré-gravidez, Gravidez e Pós-parto

Diretora do Mais Vida Gestantes

 

O que é um PERSONAL GESTANTE?

PERSONAL GESTANTE é um profissional especializado em exercícios para gestantes.

Para o Mais Vida Gestantes®  é um profissional preparado para atender as 3 fases que envolvem a gravidez:  pré-gravidez (quando a mulher está pensando em engravidar), gravidez e pós-parto.

Os profissionais do Mais Vida Gestantes são formados por nossa equipe de professores mestres e doutores através de um curso onde fundamenta-se todas as mudanças fisiológicas, biomecânicas -posturais e músculo-esqueléticas – do período gestacional.

A Professora Gizele Monteiro, mestre pela Unifesp no tema Exercícios na Gravidez, idealizou o Mais Vida Gestantes para capacitar profissionais nessa área e depois oferecer um atendimento diferenciado e de qualidade no mercado. Hoje conta com uma equipe que trabalha com a sua supervisão para implantação de programas em grupo e individualizado em vários locais: residência, academias, empresas, clubes, spas, etc.

 

photo_personal_training

PROGRAMA PRÉ-GRAVIDEZ

Para quem planeja sua gravidez o programa deve ter como foco a preparação corporal da mulher, seja no sentido de perda de peso, como também no fortalecimento dos grupamentos musculares que serão sobrecarregados no período gestacional.

Os exercícios de fortalecimento (treinamento resistido) podem ser combinados com exercícios aeróbicos e de alongamento, preparando o sistema cardiorrespiratório para as alterações fisiológicas e o sistema musculo-esquelético para as mudanças posturais.

 

PROGRAMA GRAVIDEZ

força bola gestantePara a gestante a prescrição será organizada conforme os trimestres gestacionais, independente da atividade que irá realizar. Também pode haver a mudanças da atividade se houver a necessidade e o foco de manter uma atividade direcionada aos pontos relatados acima não são perdidos.

  

PROGRAMA PÓS-PARTO

Engana-se quem acha que no pós-parto pode voltar com o ritmo total. O exercício nesse período requer tanto cuidado quanto durante a gestação, pois o corpo da mulher ainda não voltou ao normal e há grande influências hormonais ainda. Desse forma o treinamento resistido, como qualquer outro, deve ter a intensidade bem controlada, podendo se não for bem orientado provocar lesões e também comprometer a amamentação.

 

Onde estamos?

O programa já tem profissionais atuando em São Paulo, Bauru, Campinas, Rio de Janeiro e Brasília. No mês de novembro inicia a formação fora de São Paulo, tendo como primeira base de curso a cidade de Brasília.

Para a gestante a prescrição será organizada conforme os trimestres gestacionais, independente da atividade que irá realizar. Também pode haver a mudanças da atividade se houver a necessidade e o foco de manter uma atividade direcionada aos pontos relatados acima não são perdidos.

 Por toda esse diferença, procure sempres um profissional especializado.

 

Veja o video com a professora Gizele Monteiro e tire suas dúvidas sobre a diferença.

Exercícios na gravidez: aprenda a manter a forma durante a gestação

 

mais_vida_gestantesMAIS VIDA GESTANTES® - “Especializado em formar profissionais de qualidade”.

 

ATENDIMENTO – entre em contato:

e-mail: gizele@metodomaisvida.com.br

São Paulo: (11) 2867-3307 / 7871-4162

Bauru: (14) 8148-7888

Campinas: (19) 7804-1295

Rio de Janeiro: (11) 3242-3334 / 9209-3842