Obesidade e Infertilidade

Gizele Monteiro

Diretora e Idealizadora do Mais Vida Gestantes

 

Uma matéria muito importante no site da Revista Pais & Filhos. Trata-se dos efeitos que a obesidade pode ter sobre a fertilidade feminina.

EXERCÍCIOS SÃO UM EXCELENTE ALIADO NESSA LUTA. MEXA-SE COM O MAIS VIDA GESTANTES 

personal obesidade 

 

Mulheres obesas apresentam menor fertilidade

Por Roberta Roque, filha de Jandira e José Roberto

Cerca de 30% das mulheres em idade fértil são obesas, e estudos constatam que a obesidade pode ser considerada uma epidemia mundial. O acúmulo excessivo de gordura corporal traz inúmeros danos para o organismo de um indivíduo, além dos problemas a ele associado.

Uma das complicações decorrentes da obesidade em mulheres é a dificuldade em engravidar. Isso acontece porque, em geral, o ambiente do ovário em mulheres obesas é inadequado para ocorrer a ovulação, sendo que uma das explicações possíveis é o excesso de insulina, tipo de hormônio responsável por regular a quantidade de glicose no organismo.

Segundo a endocrinologista Letícia Schwerz Weinert, a fertilidade em mulheres obesas é prejudicada.  “Além do excesso de insulina, presente em mulheres obesas, prejudicar a ovulação, algumas mulheres também apresentam síndrome dos ovários policísticos, a qual cursa com o aumento dos níveis de hormônios masculinos e prejuízos da fertilidade”. Ambos os problemas interferem diretamente na ovulação.

Os tratamentos para infertilidade também são afetados pelo excesso de peso. Especialistas afirmam que mulheres obesas apresentam menor chance de sucesso em reprodução assistida. A chance de aborto espontâneo também é maior em pacientes com índice de massa corporal (IMC) acima de 30kg/m² do que em mulheres com peso normal.

Riscos durante a gravidez
Pacientes obesas que engravidam têm maiores riscos na gestação, tanto para a mãe, quanto para o bebê. A gestante obesa tem maior chance de desenvolver hipertensão e diabete gestacional. Estas complicações podem levar ao risco de parto prematuro, aborto, e até mesmo morte materna ou fetal. Ao nascer, o bebê pode apresentar macrossomia (peso acima de 4kg), complicações cardíacas e hipoglicemia logo após o parto.
 
De olho na balança
Dra. Letícia Schwerz Weinert explica que mulheres obesas que desejam engravidar devem emagrecer o quanto antes. “Há estudos que comprovam que pacientes que perdem peso, por dieta ou cirurgia, melhoram seu nível de fertilidade”.

Mas a endocrinologista Letícia Schwerz Weinert alerta, que mesmo após perder peso, as futuras mamães devem prestar atenção na saúde. “A diabete pré-gestacional também apresenta riscos para a gestação. As mulheres devem controlar a diabete, principalmente antes de engravidar, para que ocorra um bom controle glicêmico durante as primeiras semanas de gestação, período em que ocorre a formação do bebê”.

CONSULTORIA: LETÍCIA SCHERZ WEINERT, FILHA DE GASTÃO E MARIA DA GLÓRIA, É MÉDICA ENDOCRINOLOGISTA DO CENTRO DE RECUPERAÇÃO E ESTUDO DA OBESIDADE (CREEO)

 

MAIS VIDA GESTANTES.

mais_vida_gestantesO programa de exercícios e os serviços oferecidos pelo Método Mais Vida atuam com situações delicadas como diabetes, hipertensão, obesidade, entre outras.

Nossos profissionais sõa qualificados e supervisionados para todos esses atendimentos.

Entre em contato e veja nosso programa pré-gravidez que busca atender além de melhorar a condição física da mulher, também atuar no auxílio da diminuição do peso corporal, controlar diabetes e hipertensão anteriores ao período gestacional.

CONTATOS:

São Paulo – e-mail: gizele@metodomaisvida.com.br / Tel. (11) 7871.4162
Rio de Janeiro – e-mail: contato@proativaclub.com.br / Tel. (21)3242-3334 / 9209-3842