Conteúdo de maio/2010

Enxoval e a Malinha da Matenidade

28-mai-10

Querida mamãe,

Aprenda como montar a malinha do seu bebê para a maternidade.

Karina Gonçalves, proprietária da Puro Amor e coordenadora de enxovais, ensina algumas regras de como montar o enxoval para o seu bebê. Na entrevista coordenou o enxoval de Giulia, filha de Scheila Carvalho, mostrando como levar as roupinhas e o que levar na malinha da maternidade.

Alimentação durante a Amamentação – Empório da Papinha (parceiro Mais Vida Gestantes)

27-mai-10

Alimentação da Lactante ou Nutriz

Dra. Mara Cristina Sousa Miranda – Empório da Papinha

 

Na fase em que a mãe está amamentando, a alimentação assume um papel de importância ímpar, isso porque os alimentos ingeridos ajudam a recuperá-la do parto, a ter energia suficiente para enfrentar a dura jornada de cuidados com o bebê.

O Estado Nutricional Materno esta intimamente ligado a produção do leite. A dieta deve conter todos os nutrientes como proteínas, carboidratos, gordura, vitaminas, minerais, água e fibras.

“A princípio não há alimentos proibidos para a nutriz. Em situações de suspeita de alergia alimentar no bebê, em aleitamento materno exclusivo, cujo diagnóstico é bem difícil, pode-se pensar numa dieta hipoalergênica para a mamãe”.

O correto é manter uma alimentação sadia, com bastante leite, água e sucos, para estimular a produção de leite.

Alguns fatores estimulam a produção de leite: sucção, presença da criança (estímulo auditivo, visual e olfativo), frequencia, intensidade e duração do estímulo.

Outros fatores podem inibir a liberação de leite: stress, ansiedade, dor, cansaço, nicotina e bebidas alcoólicas.

O Leite Humano é a fonte completa de nutrientes para o bebê (lactente). Sua composição química é ideal para as condições da digestão e do metabolismo do recém-nascido.

Cuidados Necessários para as Mães que Amamentam:

- Seguir as recomendações nutricionais e sempre que possível a orientações de um Nutricionista;

- Ingestão de líquidos freqüentemente;

- Deve-se evitar o consumo exagerado de doces, frituras, guloseimas e outros, uma vez que possuem alta densidade calórica e “pouco ou quase nenhum” nutriente importante para a mamãe e o recém-nascido;

- Incluir diariamente em pelo menos uma das refeições principais uma proteína de origem animal (carne magra – bovina, frango ou peixe). Na falta da carne, o ovo é um bom substituto, devendo ser consumido, no máximo, 02 vezes por semana;

- Incluir diariamente legumes, verduras (cruas ou cozidas) e frutas.

- Nos lanches intermediários (manhã, tarde e noite), dar preferência a frutas inteiras ou suco natural de frutas ou leite batido com frutas ou leite desnatado e seus derivados como iogurte, etc.;

- Evitar (ou diminuir) o consumo de: frituras, doces, refrigerantes, refeições muito temperadas, corantes. Não exceder no sal e evitar as pimentas;

- Evitar grandes quantidades de café, chá preto e chocolate;

- Não fumar nem fazer uso de bebidas alcoólicas;

- Não tomar medicamentos sem orientação médica, pois algumas drogas podem prejudicar a produção do leite.

É importante ajudar a mulher a compreender, de uma forma prática e simples, os princípios de uma alimentação saudável, para que ela possa encontrar mecanismos próprios e estratégias que tornem as suas escolhas do dia-a-dia as mais acertadas para a promoção da sua saúde e a do seu bebê. É fundamental que essa fase “especial de nossa vida” seja muito bem programada e orientada por profissionais competentes para garantirmos a nossa saúde e a de nossos filhos. O ideal é procurar a orientação de um Nutricionista para que a dieta seja direcionada para “você”, de acordo com as suas necessidades nutricionais, peso atual e exame laboratorial, garantindo assim uma alimentação saudável para a lactante.

Ginástica no Pós-parto

21-mai-10

Profa. Ms Gizele Monteiro

Os exercícios no pós-parto podem ser introduzidos gradativamente e, em condições favoráveis, podem ser iniciados logo após a paciente ter deixado a maternidade, mas o importante sempre é ter a liberação médica associada ao tipo de parto e condição física da mulher.

Existem exercícios muito leves e com característica que podem ajudar muito a mulher nesses momentos, como por exemplo, exercícios de alongamento para a região das costas, cervical, parte anterior do tronco (músculos peitorais) que ajudam a compensar a postura e auxiliam no relaxamenteo a mulher, que passará por um momento de adaptação que é estressante. Além disso esses exercícios combinarm muito com a massagem que realizada em alguns pontos torna-se estratégica para o relaxamento e o alívio de dores.

Aos poucos podem ser introduzidos também exercícios de resistência para a musculatura utilizada no dia-a-dia e complementados pela caminhada.

O importante é desmistificar que os exercícios não podem ser iniciados nesse período

Objetivos:

  • preservação ou restauração das funções normais da bexiga e do intestino;
  • restauração do tônus muscular, da silhueta e da postura;
  • evitar aquisição de peso;
  • prevenção do prolapso genital (queda do útero)

Logo após dar à luz, a mãe tem seus dias completamente preenchidos, cuidando do bebê. Amamentar, trocar fraldas, dar banho, acalmar o choro, enfim, este novo serzinho domina totalmente o ambiente, impedindo, sobretudo, que a mãe possa pensar em si, pois quando ela não estiver ocupada com o seu bebê, provavelmente estará dormindo para repor as energias.

À medida em que o tempo passa, ambos, mãe e bebê, vão adaptando-se um ao outro. As mamadas acontecem em um intervalo regular, e a mãe já terá adquirido mais prática nas tarefas diárias.

O ideal é que a mãe consiga sempre encontrar um tempinho para cuidar de si.

O treinamento personalizado nesse sentido tem uma importância muito grande pois o profissional irá até o domicílio fazendo com que a mamãe possa programar o horário dentro do seu ritmo e do seu bebê.

Aos poucos a aula em grupo com o bebê também pode ser uma opção pois assim não terá que deixar seu bebê com alguém a reunião com outras mães e seus pequenos será importante para a socialização dos dois.

Os exercícios muitas vezes são deixados num segundo plano, mas deve fazer parte do seu dia-a-dia.

O método Mais Vida Gestantes pensou em todas essas opções e temos vários serviços que a mamãe poderá contar:

- Personal Training: com atendimento domiciliar, em um dos nossos pontos ou em seu no local de preferência (clube – academia),

- Aulas em grupo: pequenos grupos que podem ser realizados com os bebês ou não

- Grupo de caminhada e corrida: atendimento na USP aos sábados e já estamos fechando uma parceria no Ibirapuera.

Para as mamães de outras cidades temos ainda …

Rio de Janeiro: os mesmos atendimentos e o grupo de caminhada e corrida acontece numa orla de Copacabana e na Lagoa na Tenda Proativa com a equipe da Proativa Club, parceiros do Mais Vida Gestantes.

Atendimento em Brasília, Bauru, Tietê, Campinas – realizam atendimento personalizado  e ainda com grupos de ginástica (com o bebê) e hidroginástica.

 

Saiba mais!

São Paulo: gizele@metodomaisvida.com.br / Fones – (11) 2867-3307 e 7871.4162

Rio de Janeiro: contato@proativaclub.com.br / Fones – (21) 3242-3334 e 9209-3842

Brasília: Personal Training – Fone – (61) 8179-0738

Bauru: Personal Training – Fone – (14) 8148-7888

Campinas: Personal Training – Fone – (19) 7804-1295

Tietê e Cerquilho: Personal Training – Fone – (015) 9141-3890

Que exercício uma gestante pode fazer? Artigo no Blog da Zazou.

19-mai-10

O método Mais Vida Gestantes está com a matéria QUE EXERCÍCIO UMA GESTANTE PODE FAZER? no blog da Zazou. Tire suas dúvidas em relação as características das várias modalidades de exercícios e busque orientação de um profissional que entenda de gravidez para atendê-la.

 

Por: Profa. Ms Gizele Monteiro

Uma dúvida muito comum acompanha gestantes e profissionais da área é em relação a quais exercícios físicos são permitidos durante a gestação?

A primeira coisa a se observar neste caso é se o médico libera para a realização de exercícios, e também para a atividade que a gestante deseja faze,r ou se o profissional deseja prescrever.
Linha de Roupas de Ginastica para Gestantes da Zazou

Após esse passo a gestante está liberada para a atividade, porém todo o controle e conhecimento também deve ser levado em consideração.

1) MUSCULAÇÃO – uma das atividades mais utilizadas hoje nas academias.

A musculação, por exemplo, é uma atividade muito usada hoje nas academias e por professores que trabalham com treinamento personalizado, porém não são todos os médicos que a liberam. Se bem orientada é uma atividade muito importante e interessante, uma vez que fortalece musculaturas responsáveis pelo controle postura. Há sempre a necessidade, independente do exercício, de realizar ajustes conforme a individualidade da gestante. Desde que liberada pelo médico, tanto a gestante que era sedentária, quanto a que já fazia musculação podem fazê-la.

2) PILATES – a atividade do momento.

O Pilates vem com força total e a cada dia ganha novos adeptos. Hoje muitos médicos indicam o Pilates até mesmo sem conhecer muito da modalidade. Não é uma atividade indicada para gestantes que eram sedentárias antes de engravidar e que nunca fizeram Pilates. Apesar de ser uma atividade importante para o fortalecimento muscular (para auxílio de desconfortos pelas mudanças posturais) e do assoalho pélvico (importante para o parto normal) por seus exercícios exigirem muito dessas musculaturas, com grande ênfase em abdominais, é intensa para quem não o conhece. Pensando nisso o método Mais Vida Gestantes está fazendo parceria com profissionais que passaram por nossa formação e são capazes de realizar as adaptações e mudanças de exercícios necessárias para a futura mamãe.

3) TREINAMENTO FUNCIONAL – uma atividade que vem ganhando força e espaço no mercado.

O treinamento funcional veio para ficar, pelo menos por alguns anos essa modalidade estará na lista das academias e prioridade dos profissionais. No treinamento funcional existe uma variação muito grande de exercícios e equipamentos (materiais) que podem ser utilizados. O profissional deverá conhecer muito bem cada exercícios e material para adaptá-lo para a gestante. Não são todos que ela poderá fazer. As grandes instabilidades e exercícios arriscados devem ser tirados do quadro de exercícios selecionados. Na gravidez a orientação deve ser sempre a segurança da gestante não só pela superfície estável, mas também pelo grau de dificuldade ou ação do exercício. É importante que o profissional conheça bastante da gravidez e do treinamento funcional para aplicá-lo. O método Mais Vida Gestantes tem profissionais capacitados para trabalhar com toda a segurança necessária para a gestante.

Linha de Roupas de Ginastica para Gestantes da Zazou

4) ATIVIDADES DE IMPACTO – corrida

A corrida por ser uma atividade de intensidade e ação biomecânica elevada (devido o impacto) exige um grande nível de aptidão de quem irá praticá-la, portanto não é uma atividade indicada para se iniciar durante a gravidez. Para gestantes que já corriam antes de engravidar, indicamos que sempre seja acompanhado por um profissional e que distâncias e intensidade sejam controladas e reduzidas com o progresso da gravidez.

5) GINÁSTICA PARA GESTANTES – atividade em grupo

Uma atividade em grupo é sempre bom para descontrair e motivar. As aulas devem ser programadas e direcionadas para as necessidades gestacionais, havendo sempre a ação em diferentes grupamentos musculares e também exercícios com objetivos e materiais diferentes. Mesmo uma gestante sedentária pode iniciar, mas sempre com o controle do profissional que irá atendê-la.

6) EXERCÍCIOS DE ALONGAMENTO – para o relaxamento e ação em músculos sobrecarregados pelas mudanças posturais.

Muito importantes para qualquer gestante. Proporcionam o relaxamento e o equilíbrio para grupamentos musculares sobrecarregados pelas mudanças posturais. Temos um post nesse blog informando um pouco mais de como devem ser aplicados os exercícios de alongamento.

Linha de Roupas de Ginastica para Gestantes da Zazou

7) HIDROGINÁSTICA

A hidroginástica é ainda a atividade mais indicada pelos médicos, e é sem dúvidas uma atividade que traz vários benefícios para a gestante, principalmente no último trimestre. Nesse momento muitas gestantes sofrem com o inchaço nas pernas e a atividade em água é muito positiva para esse alívio. Há de se tomar muito cuidado pois vários locais oferecem aulas que não são específicas para gestantes sendo que pode haver uma mistura de pessoas e o objetivo e foco ser perdido. Para o grupo de gestantes, o profissional deverá saber fazer as correções das várias grávidas em períodos diferentes de sua gravidez, distribuídas nos vários meses e trimestres e cada uma terá um nível de condicionamento físico e necessidades diferentes.

8) PROGRAMA PRÉ-GRAVIDEZ

Para quem planeja sua gravidez o programa deve ter como foco a preparação física do corpo da mulher, seja no sentido de perda de peso, como também no fortalecimento dos grupamentos musculares que serão sobrecarregados nesse momento. Por isso os programas são com objetivos, intensidades e volumes diferentes.

9) PROGRAMA PÓS-PARTO

Engana-se quem acha que no pós-parto pode voltar com o ritmo total. O exercício nesse período requer tanto cuidado quanto durante a gestação, pois o corpo da mulher ainda não voltou ao normal e há grandes influência hormonal ainda. Dessa forma o exercício intenso, independente de qual seja, pode provocar lesões e também comprometer a amamentação.

Para maiores informações sobre o assunto fica a dica para fazerem uma visita ao site abaixo:

http://metodomaisvida.com.br/conteudo/2//2009/12/26/atendimento-personalizado-na-gravidez-e-pos-parto/

  

Relação entre Música, Exercício e Gravidez

18-mai-10

Prof. Esp. Renato Breviglieri Vianna e Profa. Ms Gizele Monteiro

bebe_musicaPesquisa feita e apresentada em uma reunião do ACSM (American College of Sports and Medicine), por Janet McMordie, demonstrou as vantagens de se usar a música como fator motivador no treinamento para as mulheres. A pesquisa constatou que as mulheres poderiam elevar o nível de seus treinos, elevando o nível de esforço nos exercícios, quando o volume de suas músicas favoritas é aumentado. A pesquisa avaliou 18 mulheres praticantes de exercício físico, as quais fizeram o teste escolhendo as músicas preferidas e estas foram executadas em vários níveis de volume e algumas situações não foram executadas. Os exercícios escolhidos foram bicicleta ergométrica, leg press e supino reto. Os resultados encontrados foram os seguintes:

- Leg Press: as mulheres fizeram uma média de 26 repetições antes da fadiga quando não estavam ouvindo música, com o volume mais baixo das músicas preferidas fizeram uma média de 29 repetições, mas com a música alta, as mulheres poderiam fazer uma média de 36 repetições.
- Ciclismo: os resultados mostraram que, ouvir a música em todos os níveis de volume ajudou a melhorar no desempenho das mulheres no teste quando comparado ao não ouvir música. “A Música parece ajudar a empurrar os participantes através do aspecto psicológico quando o teste está lhes dizendo que é muito difícil, bem como empurrar um pouco mais com a dor causada pelo acúmulo de lactato”.

Com força da motivação, quanto mais alta a música, maior o efeito. As mulheres podiam realizar mais repetições antes da fadiga, quando a música era mais alta, do que quando era mais suave ou elas não estavam ouvindo qualquer música. Elas “realizaram com um melhor desempenho e estavam mais felizes”

Música – qualquer que seja o estilo pode ajudar de várias maneiras, de acordo com McMordie, que gosta de heavy metal durante seus treinos. “Psicologicamente, a música que você escuta com o volume um pouco mais alto, pode distraí-lo do que você está fazendo”, diz ela. Em outras palavras, você não percebe tanto a dor. A música pode também causar um aumento na adrenalina que aumenta mais nosso pique, diz ela.

Antes de você aumentar o volume e tocar suas músicas favoritas no seu próximo treino, mantenha em mente a saúde de seus ouvidos, por precaução evite a exposição prolongada a sons intensos, incluindo a música, por isso não aumente muito o volume.

 

MÚSICA NA GESTAÇÃO

musica e exercicio gravidezMamães continuem ouvindo música sem achar que isso possa fazer mal ao seu bebê. Música durante a gestação faz bem para mamãe e ao queridinho. Pesquisas indicam que as gestantes que escutaram trinta minutos de música todos os dias durante duas semanas reduziram, e muito, os sintomas de depressão, estresse e ansiedade em comparação às gestantes que somente fizeram o pré-natal sem a intervenção da música.

Foram utilizados vários estilos de músicas, sendo que todas elas surtiram um efeito positivo, aumentando a atividade cerebral do bebê e fortalecendo o vínculo com a mamãe.

Por isso “Exercício Físico e Música” é uma combinação ideal para o bem-estar da Mamãe e seu bebê.

Fumo na Gravidez – consequências para o filho

18-mai-10

Mães que fumam durante a gravidez podem provocar crises de cefaleia nos filhos

Tabagismo materno durante a gravidez consequências negativas para as crianças

A cefaleia crônica nas crianças em idade escolar, caracterizada por episódios repetidos de dor de cabeça, está associada ao tabagismo materno durante a gestação. Essa é a conclusão da pesquisa de doutorado do enfermeiro Carlos Eduardo Fabbri, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP), da Universidade de São Paulo (USP). Os resultados do estudo reforçam evidências científicas já descritas na literatura. Elas indicam que o tabagismo materno durante a gravidez envolve consequências negativas à criança ao longo da vida.

A descoberta é que a cefaleia crônica é uma delas. “Nenhuma pesquisa epidemiológica ou clínica confirmava esta hipótese até hoje”, assegura o professor Manoel Romeu Gutierrez, coorientador da pesquisa. Para Fabbri, além dos resultados oferecerem mais subsídios para conscientizar as mães sobre os perigos do fumo para o feto durante a gestação, abre perspectivas para os neuropediatras investirem neste campo de pesquisa. “Pode estar aí a explicação para a grande maioria das cefaleias que aparecem nos ambulatórios e que ninguém sabe exatamente a causa”.

O estudo foi realizado em Ribeirão Preto, interior de São Paulo, com crianças de 9 a 11 anos, e em São Luís, no Maranhão, com crianças de 7 a 8 anos. Fabbri conta que a escolha das cidades deve-se a diferenças no Índice de Desenvolvimento Humano municipal (IDHm) de ambas. Ribeirão Preto têm o IDHm maior em relação a São Luís.

Gestação
O pesquisador acompanhou as crianças de Ribeirão Preto em 2004 e as de São Luís, dois anos depois, e comparou as informações com os resultados de uma pesquisa anterior, realizada respectivamente em 1994 e 1996, pelo professor Marco Antonio Barbieri, da FMRP. Participaram do estudo 1.629 crianças. Em Ribeirão Preto, 43% dos filhos cujas mães fumaram mais de dez cigarros por dia durante a gravidez relataram cefaleia crônica (dois ou mais episódios por semana, sem diagnóstico de doença ou causa aparente que justificasse a dor de cabeça).
 

 

Para diferenciar a dor de cabeça comum, o trabalho considerou a ocorrência de duas ou mais queixas, num intervalo de 15 dias, seguindo critérios de classificação da doença, descritos pela Sociedade Internacional de Cefaleia. De acordo com os pesquisadores, existem evidências de que a nicotina é a mais potente entre os neuroteratógenos (substâncias que levam à má formação do sistema nervoso central do embrião).

Fabbri explica que as substâncias químicas que a gestante absorve pelo consumo de cigarros atravessam a barreira placentária, interferem e prejudicam os processos de formação do túbulo neural (estrutura do sistema nervoso central) do feto no primeiro trimestre de gestação. “Tal procedimento leva a alterações da neuroplasticidade (funcionamento do sistema nervoso central) durante a vida da criança e na idade escolar, o que pode estar relacionado ao desenvolvimento da dor de cabeça crônica na criança”.

Como o cigarro é ainda mais prejudicial nos três primeiros meses de gestação, fase principal da formação neurológica do feto, Fabbri diz que é muito comum, nessa fase, a mulher ainda não saber que está grávida e continuar fumando. A medicina já descobriu outros malefícios aos filhos de fumantes: “A criança pode ter dificuldades de atenção e de aprendizado na escola e ser hiperativa, mais estressada. Devemos considerar que a cefaleia da criança é uma antecipação da cefaleia do adulto. No futuro, isso refletirá sensivelmente sobre o desempenho profissional do adulto e comprometerá sua qualidade de vida permanentemente”. O trabalho será publicado em revista científica e apresentado no Congresso de Pediatria no Chile, de 19 a 22 de novembro.

http://www.saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/lenoticia.php?id=205674&c=5225&q=M%E3es+que+fumam+durante+a+gravidez+podem+provocar+crises+de+cefaleia+nos+filhos

Mamãe, parabéns pelo seu dia!

07-mai-10

A equipe do método Mais Vida Gestantes parabeniza a todas as mamães pelo seu dia.

 

mae-000001