Gestantes com problemas cardíacos e suas repercussões no feto

Profa. Ms Gizele Monteiro

Gestantes com problemas cardíacos e suas repercussões no feto

Por: Dra. Elvira Rito Rodrigues
Médica Pediatra do Setor de Cardiopatia e Gravidez do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia e do Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa da Sec. Municipal de Esportes.

Todas as Gestantes portadoras de quaisquer tipos de alterações Cardiovasculares são consideradas Gestantes de Alto Risco, como também seu concepto, Recém Nascido de Alto Risco, devendo ser essa gestante acompanhada rigorosamente durante todo período gestacional por uma equipe multiprofissional ou seja, médico cardiologista, ginecologista, obstetra, ultrassonografista, pediatra, além de psicólogo e dentista, tudo isso com boa retaguarda hospitalar para eventuais necessidades de exames especializados ou condutas intervencionistas.bebe na barriga

É muito importante durante o período gestacional observar a evolução da Cardiopatia materna e suas repercussões no Feto, com relação a Cardiopatia propriamente dita bem como com relação aos medicamentos usados pela gestante que poderão atingir o feto, tudo deverá ser observado, analisado e discutido cuidadosamente em equipe para que as condutas sejam decididas com cautela em benefício de ambos (mãe e filho).

Citaremos algumas prováveis causas de repercussões que podem ocorrer:

  • pela Cardiopatia materna propriamente dita,
  • pelo uso de drogas medicamentosas necessárias no controle da cardiopatia,
  • pela eventual manobra cirúrgica durante o período gestacional,
  • pelas drogas anestésicas usadas durante o procedimento obstétrico,
  • pelas intercorrências cardíacas durante a gestação ou durante o trabalho de parto,
  • pela ocorrência de efeitos negativos no fluxo uteroplacentário das gestantes cardiopatas podendo levar ao baixo fluxo saguíneo na circulação placentária dificultando as trocas gasosas do Oxigênio e a passagem dos Nutrientes para o Feto.

Quaisquer uma dessas poderá causar:

  • Baixo desenvolvimento do Feto e conseqüentemente gerar Recém Nascidos de Baixo Peso, independente da idade gestacional,
  • Nascimento de Prematuros podendo até causar extrema prematuridade,
  • Recém Nascidos com dificuldades vitais cardiorespiratórias,
  • Recém Nascidos com anemia de grau moderado a grave,
  • em alguns casos raros poderá ocorrer alterações morfológicas

Todas as Gestantes portadoras de quaisquer tipos de Cardiopatia deverão ter acompanhamento rigoroso em serviços especializados com avaliações periódicas a fim de:

  • detectar alterações da própia Cardiopatia e as condutas imediatas a serem tomadas durante essa gestação, principalmente as intervencionistas, sempre com o cuidado nas repercussões no feto.
  • avaliar o desenvolvimento Fetal através de exames clínicos, laboratoriais, especiais a fim de diagnosticar precocemente as alterações materno fetais que poderão ser amenizadas, evitadas, tratadas precocemente.

Estatísticamente as principais Cardiopatias encontradas durante a Gestação são as Cardiopatias Hipertensivas, Prolápsos de Válvula Mitral, Cardiopatias Reumáticas: Insuficiência da Válvula Mitral, Estenose da Válvula, Cardiopatias Congênitas, Cardiopatia Chagásica, Próteses Valvuláres e outras.

Hoje temos vários Serviços Públicos de Cardiopatia e Gravidez de acesso fácil que dão atendimento a essas Gestantes as quais são acompanhadas com rigoroso cuidado tendo estatísticas altamente positivas com resultados benéficos tanto à Gestante como ao Feto, para isso basta ter um encaminhamento do profissional que inicialmente diagnosticou a alteração Cardiovascular na Gestante.

Fonte: http://www.vitrine25demarco.com.br/coluna_detalhe.php?codeps=MzR8NTM=