Conteúdos de 4/abril/2010

Programa de Exercícios no Pós-parto

04-abr-10

Profa. Ms Gizele Monteiro

PROGRAMA DE EXERCÍCIOS NO PÓS-PARTO

Existem muitas promessas e dicas para recuperar a forma física rapidamente no pós-parto, mas será que isso é um risco para a mãe?

A primeira coisa necessária para a segurança da mãe é a liberação médica, a qual dependerá do parto e do médico. Vários médicos advertem que os exercícios devem ser realizados com muita cautela, alguns sugerem até o comprometimento da amamentação se essa regra não for observada. VEJA TAMBÉM PARA MAIOR ESCLARECIMENTO O ARTIGO SOBRE AMAMENTAÇÃO.


Que  exercícios a mulher pode realizar no período pós-parto?

Engana-se quem acha que no pós-parto pode voltar com o ritmo total. O exercício nesse período requer tanto cuidado quanto durante a gestação, pois o corpo da mulher ainda não voltou ao normal e há grandes influências hormonais ainda.

“Mesmo quem tem uma condição física melhor necessita retomar as atividades com bastante cuidado, de forma moderada, pois o corpo ainda está sob o efeito de hormônios. Há uma maior frouxidão nos ligamentos e uma perda da força muscular”. Por outro lado, hoje sabe-se que os exercícios físicos são muito importantes, no auxílio e na prevenção da depressão pós-parto, além de melhorarem a auto-estima e o bem-estar da mãe.

Qualquer atividade citada adiante deve ter a liberação e a concordância do médico que acompanha a mamãe.


MUSCULAÇÃO OU EXERCÍCIOS DE FORÇA NO PÓS-PARTO- uma das atividades mais utilizadas hoje nas academias e por Personal Trainers

A musculação,  por exemplo, é uma atividade muito usada hoje nas academias e por professores que trabalham com treinamento personalizado, porém não são todos os médicos que a liberam. Se bem orientada é uma atividade muito importante e interessante, uma vez que fortalece musculaturas responsáveis pelo controle postura. Há sempre a necessidade, independente do exercícios de realizar ajustes conforme a individualidade da gestante. Desde que liberada pelo médico, tanto a gestante que era sedentária, quanto a que já fazia musculação podem fazê-la.

Os exercícios de força, como qualquer outro, deve ter a intensidade bem controlada, podendo se não for bem orientado provocar lesões e também comprometer a amamentação. Eles são muito importantes para o retorno postural da mulher e a recuperação da força, a qual se encontra em queda durante a gestação. Outro ponto importante é prevenção de dores em algumas regiões comuns como coluna e quadril e braços, isso se dá pelas alterações hormonais mais a sobrecarga nos cuidados com o bebê.


PILATES NO PÓS-PARTO – a atividade do momento?

Hoje o Pilates é indicado por muitos especialistas e médicos de diversas áreas, inclusive pelos ginecologistas.

Constantemente vemos em sites, reportagens em revistas ou TV a indicação dessa atividade para gestantes.

Pilates é uma técnica que um dos princípios baseia-se no trabalho sobre o “core – centro do corpo”, referindo-se a região abdominal, músculos paravertebrais e assoalho pélvico.

De certa forma, essa filosofia é claramente aplicável na gravidez e no pós-parto. Existe grande importância no trabalho da região abdominal, músculos da coluna e assoalho pélvico que precisam recuperar-se das mudanças ocorridas na gestação, porém tudo isso com muito equilíbrio, organização e controle de carga (escolha do exercício, equipamento utilizado, número de repetições, etc).

Essa modalidade faz parte do conjunto dos exercícios de força (ou resistidos) e como tal deve respeitar algumas recomendações também estipuladas para treinamento com pesos, conforme princípio do treinamento e individualidade biológica.

O método MAIS VIDA GESTANTES tem profissionais que atendem com PILATES para Grávidas e mulheres no Pós-parto. O “Körper Studio – Pilates & Bem-estar” tem parceria e é um dos pontos de atendimento para o período Pós-parto.  Lá a mamãe e seu bebê poderão encontrar todo o carinho, cuidado e segurança através de profissionais capacitados e conhecedores das necessidades desse período.


TREINAMENTO FUNCIONAL NO PÓS-PARTO - uma atividade que vem ganhando força e espaço no mercado.

gestantesO  treinamento funcional veio para ficar, pelo menos por alguns anos essa modalidade estará na lista das academias e prioridade dos profissionais. No treinamento funcional existe uma variação muito grande de exercícios e equipamentos (materiais) que podem ser utilizados. O profissional deverá conhecer muito bem cada exercícios e material para adaptá-lo para o Pós-parto.

Não são todos que ela poderá fazer. As grandes instabilidades e exercícios arriscados devem ser tirados do quadro de exercícios selecionados. A orientação deve ser sempre a segurança da gestante não só pela superfície estável, mas também pelo grau de dificuldade ou ação do exercício. É importante que o profissional conheça bastante das alterações corporais do período gestacional, do pós-parto e dos princípios do treinamento funcional para aplicá-lo. O método Mais Vida Gestantes tem profissionais capacitados para trabalhar com toda a segurança necessária.

ATIVIDADES DE IMPACTO NO PÓS-PARTO– corrida

A corrida por ser uma atividade de intensidade e ação biomecânica elevada (devido o impacto) exige um grande nível de aptidão de quem irá praticá-la, portanto não é uma atividade indicada para se iniciar durante a gravidez ou no pós-parto. Para mulheres que já corriam antes de engravidar, indicamos que sempre seja acompanhado por um profissional e que distâncias e intensidade sejam controladas e reduzidas com o progresso da gravidez e a mesma recomendação segue para o Pós-parto.

GINÁSTICA NO PÓS-PARTO – atividade em grupo

Uma atividade em grupo é sempre bom para descontrair e motivar. As aulas devem ser programadas e direcionadas para as necessidades do momento, havendo sempre a ação em diferentes grupamento musculares e também exercícios com objetivos e materiais diferentes. Mesmo em mulheres sedentárias pode-se iniciar, mas sempre com o controle do profissional que irá atendê-la.


EXERCÍCIOS DE ALONGAMENTO - para o relaxamento e ação em músculos sobrecarregados pelas mudanças posturais.

Muito importantes, proporcionam o relaxamento e o equilíbrio para grupamentos musculares sobrecarregados pelas mudanças posturais.


HIDROGINÁSTICA NO PÓS-PARTO

Praticamente não há no mercado esse atendimento direcionado para a mulher no Pós-parto. Normalmente elas são encaixadas em aulas de gestantes ou outras turmas. A atividade em água sempre é positiva, porém temos que entender que ela não é a única. O método Mais Vida Gestantes oferece atendimento domiciliar (personal training) com hidroginástica.


Se você tem, dúvida ou se interessou por algum dos programas de exercícios citados, entre em contato e informe-se onde há um ponto de atendimento mais próximo, ou procure-nos para personal training ou consultoria.

Personal Trainer – irá até sua residência ou academia e a acompanhará durante a atividade.

Consultoria – vamos até você e elaboramos um programa conforme suas necessidades e objetivos. Pode ser proposta atividades realizadas com o seu bebê.

Contato: gizele@metodomaisvida.com.br / Fones: (11) 7871.41.62 – 2867.33.07.

Comportamento na Infância – mãe e filho

04-abr-10

Relação com a mãe determina comportamento na infância

Um estudo da Universidade de Reading, no Reino Unido, confirma que a relação entre mãe e filho é determinante para o comportamento da criança, sendo ainda mais importante no caso dos rapazes.

Depois de analisarem 69 estudos sobre o assunto, envolvendo mais de seis mil crianças com menos de 12 anos de idade, os investigadores verificaram que as crianças que têm uma ligação insegura com a mãe têm mais problemas de comportamento, como agressividade e hostilidade, principalmente se forem rapazes.

“A questão central que colocamos foi se a insegurança nos laços estaria associada com problemas de comportamento em todos os estudos conduzidos até o momento. Os resultados mostram claramente que a resposta a essa resposta é um firme SIM”, afirmou Pasco Fearon, um dos autores do estudo.

“Mais especificamente, a nossa análise mostrou que as crianças com laços inseguros com as mães, particularmente meninos, tinham significativamente mais problemas de comportamento, mesmo quando esses problemas eram observados anos mais tarde”, concluiu.

Os autores do estudo alertaram ainda para a necessidade de se fazerem estudos semelhantes sobre a relação das crianças com os pais.

Fonte: http://www.paisefilhos.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=2242&Itemid=60

Texto: PAIS&Filhos
01 Abril 2010