Conteúdo de março/2010

Musculação – Exercícios de Força para Gestantes

30-mar-10

Profa. Ms Gizele Monteiro e Prof. Esp. Renato Breviglieri Vianna

Conceituando o Treinamento Força:

Há alguns anos atrás, não nos referíamos aos exercícios de força, treinamento com pesos ou outros equipamentos, como treinamento de força. Hoje esse termo tem sido utilizado, mas basta entender que é o uso de sobrecarga para o trabalho muscular.

Este tipo de treinamento tem sido bastante conhecido com o nome “musculação” e foi aparecendo por volta dos anos 80 e sempre cercado de muitas dúvidas e tabus.

Quem diria que hoje estaríamos aqui falando de exercícios de força para gestantes. Pensando nisso, percebemos o quanto evoluiu o treinamento de força ou o quanto evoluímos em relação às pesquisas nesta área.

O que torna o treinamento força para gestantes interessante e eficiente é a condição de se trabalhar todas as variáveis possíveis, como: carga, amplitude de movimento, repetições, intervalos de descanso, tempo de contração e velocidade de contração. É importante também o ajuste de todas essas variáveis ao “nível de aptidão da gestante e mesmo gestantes sedentárias podem se beneficiar dessa atividade trabalhando com cargas leves e intensidades controladas”.

Importância do Treinamento de Força para Gestantes:

Quando pensamos em gestantes, lembramos de todas as alterações fisiológicas que ocorrem para que o corpo da mulher esteja preparado para gerar, desenvolver e trazer ao mundo uma vida e principalmente as alterações músculo-esqueléticas como a extensibilidade do músculo reto abdominal, a alteração na amplitude dos movimentos, e o peso adicional aumentam a sobrecarga sobre as estruturas músculo-esqueléticas, além de outras. Logo a musculação na gravidez e todas suas variáveis representam uma excelente opção de exercício físico.PERSONAL MULHER

Segundo Wolf (1993) as mudanças físicas relativas e o ganho de peso durante a gestação determinam modificações relativas à postura, equilíbrio e locomoção, logo estão diretamente ligados aos músculos.

Levando em conta também que de acordo com a ACSM, o treinamento de força, particularmente quando incorporado dentro de um programa geral de condicionamento, reduz os fatores de risco associados com doença cardíaca coronariana, diabetes não dependente de insulina, câncer de cólon, previne osteoporose, promove perda de peso e sua manutenção, melhora a estabilidade dinâmica e preserva a capacidade funcional e ainda estimula o bem estar psicológico.  E de acordo com Matsudo & Matsudo (1994) e Hartmann & Bung (1999), os benefícios desses exercícios de força para gestantes seriam também a melhora a postura e a força muscular, além da diminuição ou prevenção da lombalgia, mantenção ou melhora da aptidão física e a facilitação na recuperação no pós-parto.

Com todas estas vantagens referenciadas por vários autoridades, tem sido uma boa orientação incorporar o treinamento força dentro de um programa de atividade física para gestantes.

Como em todo programa de treinamento, a gestante deve ter a liberação de seu médico.

Programa para as várias fases que envolvem a gravidez: pré-gravidez, gravidez e pós-parto.

PROGRAMA PRÉ-GRAVIDEZ

Para quem planeja sua gravidez o programa deve ter como foco a preparação física do corpo da mulher, seja no sentido de perda de peso, como também no fortalecimento dos grupamentos musculares que serão sobrecarregados nesse momento. O treinamento força pode ser combinado com exercícios aeróbicos e de alongamento, preparando o sistema cardiorrespiratório para suas mudanças e o sistema musculo-esquelético para as mudanças posturais.

PROGRAMA PÓS-PARTO

Engana-se quem acha que no pós-parto pode voltar com o ritmo total. O exercício nesse período requer tanto cuidado quanto durante a gestação, pois o corpo da mulher ainda não voltou ao normal e há grande influências hormonais ainda. Desse forma o treinamento de força, como qualquer outro, deve ter a intensidade bem controlada, podendo se não for bem orientado provocar lesões e também comprometer a amamentação.

O preparo de um profissional de Educação Física competente e que tenha o conhecimento de todas as alterações que ocorrem no período gestacional e possíveis complicações como também saiba trabalhar com o treinamento resistido direcionado para a saúde da mulher é de extrema importância na hora da escolha.

O Prof. Esp. Renato Breviglieri Vianna é certificado pelo método Mais Vida Gestantes, atende em Bauru como Personal Trainer.

O Mais Vida Gestantes® tem atendimento em vários locais (veja nossos pontos) e também atende com Personal Training em Alphaville, São Paulo, Bauru, Campinas, Guarulhos, Santo André e agora estamos em Brasília e Rio de Janeiro. Consulte-nos: gizele@metodomaisvida.com.br ou ligue para (11) 7871.41.62 – 2867.33.07.

Programa de Exercícios antes da Gravidez

29-mar-10

Programa de Exercícios antes da Gravidez: preparando fisicamente o corpo para a Gravidez

Trazendo um novo conceito de exercícios na Gravidez, um programa de exercício Pré-gravidez prepara o corpo da mulher fisicamente para as mudanças que ocorrerão durante a gestação, possibilitando uma gestação mais saudável e um pós-parto com uma recuperação mais rápida

Muitas mulheres hoje pensam na gravidez e a planejam. Existem várias coisas que a mulher e o casal têm que pensar e decidir. Além dessas coisas, a mulher se preocupa muito com o seu peso e com as alterações que seu corpo vai sofrer durante o período. Ela deve entender que seu corpo passará por uma mudança física gerada pelos vários hormônios que estão aumentados durante a gravidez e para isso é necessário estar preparada.

Uma gravidez exige muito da forma física da mulher, sendo necessário que ela se prepare fisicamente com um bom condicionamento antes de engravidar. Mulheres que realizam exercício antes e durante a gestação têm uma gravidez mais tranquila e sem tantas dores e incômodos, além do controle de peso ficar mais fácil.

O programa de exercícios antes da gravidez deve contar com exercícios de força e alongamento dos músculos posturais e também daqueles que serão mais exigidos durantes os nove meses como o períneo, conhecido também como assoalho pélvico.

Para preparar o corpo da mulher antes da gravidez, além de auxiliá-la durante a gestação e também no pós-parto, a professora Gizele Monteiro, uma especialista da área de educação física criou o método MAIS VIDA GESTANTES®, que conta com vários pontos de atendimento e também uma equipe preparada para atender com Personal Training ou aulas em pequenos grupos. O MAIS VIDA GESTANTES® ainda oferece uma equipe de nutricionistas também especializada no atendimento da mulher grávida. Esse programas antes da gravidez são ideais para controlar o peso da mulher antes de engravidar, principalmente aquelas que estão acima do peso.

A gestante é acompanhada por um profissional especializado e treinado, por cerca de 130 horas de aula, pela idealizadora do MAIS VIDA GESTANTES® que poderá ser um personal trainer ou um professor para um grupo reduzido de mulheres.

Após o parto, é iniciada uma nova fase de mudanças físicas e hormonais, que variam entre seis meses e um ano. A mulher é orientada como evitar comprometimentos na amamentação, para não afetar o crescimento do bebê. Os exercícios físicos bem aplicados e direcionados às necessidades de cada mulher auxiliam na recuperação, que pode ser ainda mais rápida em uma mulher que tenha se preparado fisicamente antes de engravidar.

Saiba mais sobre o programa: www.metodomaisvida.com.br/gestantes

e-mail: contato@gizelemonteiro.com.br / (11) 7871.4162

Flexibilidade na Gravidez

29-mar-10

Profa. Ms Gizele Monteiro

Efeito da gravidez sobre a amplitude de movimento

alongamento yogaA cintura pélvica se altera profundamente na gravidez, alterações que levam a um aumento na AM, a qual faz sua melhor adaptação para o parto (Alter, 1988).

Isso acontece pela ação de dois tipos de hormônios liberados: os estrógenos e a relaxina.

A função da relaxina ainda não é tão clara, mas, como o nome sugere, deve manter a função por meio do relaxamento de ligamentos (amolecimento), alongamento de fibrocartilagens por atividade colagenolítica e aumento do fluido sinovial na preparação para o parto, ampliando a articulação pélvica.

Pode ser ainda que os receptores de estrogênios acumulem relaxina nas articulações pélvicas e cápsula articular (Polden & Mantle, 1997).

Novas facetas da relaxina têm sido observadas por Dschietzig & Stangl (2003), encontrando alguns efeitos importantes com efeito antifibrótico e propriedade vasodilatora.

Efeitos da relaxina para o aumento da flexibilidade

Polden & Mantle, (1997) indicam algumas das funções da relaxina, as quais podem ter influência sobre a flexibilidade:

· Substituição gradual de colágeno em tecido alvo (articulações pélvicas, cápsulas articulares) com forma remodelada e modificada que tem maior extensibilidade.

· Pode ter um papel na marcante habilidade do útero em distender-se e na produção do tecido conjuntivo de suporte adicional necessário para o crescimento das fibras musculares.

Gravidez após a cirurgia de redução de estômago

25-mar-10

“QUANDO COMPARADAS COM AS GESTANTES OBESAS QUE ENGRAVIDAM, AQUELAS QUE O FAZEM APÓS A CIRURGIA BARIÁTRICA, TÊM MENOR INCIDÊNCIA DE HIPERTENSÃO ARTERIAL E MENOR GANHO DE PESO DURANTE A GESTAÇÃO”

Por: Citen (08/06/2009)

Cerca de 50% das cirurgias para tratamento da obesidade são realizadas em mulheres em idade fértil, muitas delas, com grande dificuldade de engravidar devido aos vários problemas causados pela obesidade que afetam a ovulação.

Quando outras formas de emagrecimento falham, as pacientes com obesidade grave podem ter acesso, através da cirurgia bariátrica, a um tratamento potencialmente efetivo, que pode resultar em perda de até 70% do excesso do peso corporal.

Com a perda de peso induzida pela cirurgia, geralmente ocorre a normalização dos ciclos menstruais, anteriormente irregulares, desaparecem os cistos ovarianos, estabelece-se a ciclicidade hormonal e a ovulação é a regra.

“Nesse novo ambiente metabólico, muitas mulheres, anteriormente com quadros de infertilidade, vêem uma possibilidade real de engravidar. É muito importante que esta decisão seja compartilhada com a equipe médica. Esta gestação tem que ser programada e assistida, devido aos vários riscos impostos pelas mudanças anatômicas e funcionais produzidas pela cirurgia de redução do estômago”, afirma a endocrinologista Ellen Simone Paiva.

Após a cirurgia, pacientes com os ciclos normalizados não encontram dificuldade para engravidar. Apesar dos riscos de anemia, muitas mulheres têm filhos saudáveis. No Paraná, o acompanhamento de gestantes que se submeteram à gastroplastia tem sido cada vez mais minucioso. Há um ano e dez meses, um caso ocorrido no Estado foi considerado o primeiro da literatura médica mundial e obteve bastante sucesso. Pela primeira vez no mundo, uma mulher que se submeteu a uma cirurgia de redução de estômago engravidou de gêmeos por fertilização in vitro.

“Devido às modificações nutricionais de quem se submete à cirurgia, situações de baixo peso e retardo de crescimento intra-uterino são esperados. Porém, no Paraná, o nascimento de um menino e uma menina na 36.ª semana de gestação, em ótimas condições de saúde e com bom peso, surpreendeu a todos e deixou os médicos bastante animados. Isso prova que as chances de uma mulher operada ter uma gravidez tranqüila e filhos saudáveis são cada vez maiores”, diz o médico.

Cuidados antes da concepção

A rápida perda de peso que se segue às cirurgias da obesidade alcança um platô por volta de 12 a 18 meses, após o procedimento.

As técnicas classificadas como by pass desviam o alimento de importantes rotas absortivas e podem levar à deficiência de vários micronutrientes importantes para a saúde materno-fetal. “As deficiências de ferro, cálcio, vitamina B12 e ácido fólico, comuns nas pacientes submetidas a essas cirurgias, são mais intensas nas mulheres que menstruam, uma vez que perdem mais ferro através do sangue menstrual”, observa a médica.

Cuidados gestacionais

As complicações da cirurgia bariátrica durante a gestação incluem a obstrução intestinal materna, geralmente devido à hérnias do intestino delgado, mais comuns nos procedimentos com laparoscopia, em relação às mulheres operadas através de abertura da parede abdominal.

Segundo a Dra. Ellen, as queixas de desconforto abdominal nas gestantes devido a complicações da cirurgia bariátrica podem passar despercebidas ou podem ser confundidas com as alterações ligadas à própria gestação como os vômitos freqüentes, refluxo, contrações uterinas e mal estar matutino.

As baixas de glicose ou hipoglicemias, tão freqüentes nas gestantes de uma maneira geral, são geralmente mais comuns e mais graves nas gestantes após a cirurgia bariátrica. Além disso, a complicação mais sintomática e desconfortável dessas cirurgias, o chamado dumping, é também mais freqüente nas gestantes. “Há que se reforçar a necessidade das refeições mais frequentes, o cuidado com o jejum prolongado e o risco dos líquidos ou alimentos sólidos ricos em açúcar. As manifestações extremamente desconfortantes do dumping dão à paciente submetida à cirurgia bariátrica a noção clara da importância do controle alimentar, tanto em relação à freqüência, como em relação ao tipo de alimentos ingeridos”, diz a médica.

Vitamina C pode aliviar efeitos do fumo

25-mar-10

Profa. Ms Gizele Monteiro

O tratamento com vitamina C deve ser mais uma alternativa para mães que não conseguem parar de fumar durante a gravidez.

Apesar de décadas de advertências e campanhas públicas de prevenção, aproximadamente 12% das mulheres continuam fumando durante a gravidez, segundo estatísticas do Ministério da Saúde norte-americano.

Pesquisadores da Oregon Health & Science University, descobriram que altas doses de vitamina C podem neutralizar alguns dos efeitos negativos do cigarro nos bebês ainda no útero da mãe.

Os estudiosos esclarecem, entretanto, que as descobertas não liberam mulheres grávidas para fumar normalmente.

Os resultados podem levar a um tratamento de último recurso, caso a futura mãe não consiga largar o fumo.

“A coisa mais importante é que as mulheres grávidas parem de fumar”, reforça Eliot Spindel, cientista do departamento de neurociência da universidade de Oregon.

Publicada no domingo passado, no The American Journal of Respiratory and Critical Care Medicine, a pesquisa estudou três pequenos grupos de macacos – animais similares aos humanos durante a gravidez, com o mesmo tipo de placenta e longo período de gestação.

Sete macacos nasceram de mães que recebiam doses diárias de 2 miligramas de nicotina, doses comparadas às presentes em mulheres fumantes. As habilidades de respiração e desenvolvimento dos pulmões desses macacos foram comparadas com os de sete macacos nascidos de mães que receberam as doses de nicotina mais 250 miligramas diárias de vitamina C durante a gravidez. Um terceiro grupo de macacos não recebeu nem a nicotina e nem a vitamina C e foi tido como o grupo de controle. Os pesquisadores descobriram que os animais expostos à nicotina, antes do nascimento, tiveram redução do fluxo de ar nos pulmões em comparação com os que receberam a nicotina junto com a vitamina C. Os macacos que receberam as doses de nicotina e vitamina C tiveram o nível de fluxo de ar nos pulmões próximo ao dos animais do grupo de controle.

O neurocientista disse não saber ainda que mecanismos dão à vitamina C esse efeito sobre a nicotina, mas antecipa duas teorias:

1) a primeira envolve o efeito da vitamima C em tecidos conexivos. A nicotina é prejudicial aos tecidos elásticos dos pulmões e, é possível, que a vitamina C previna esse tipo de dano.

2) a outra hipótese vê a vitamina C como um antioxidante que protege as moléculas do corpo dos radicais livres gerados durante o metabolismo e da exposição a toxinas e outros poluentes.

Publicada em: http://www.agecom.df.gov.br/042/04299003.asp?ttCD_CHAVE=30247

Que exercícios as gestantes podem fazer?

24-mar-10

Profa. Ms Gizele Monteiro

Uma dúvida muito comum acompanha gestantes e profissionais da área … que exercícios são permitidos durante a gestação?

A primeira coisa a se observar é se o médico libera para a realização de exercícios e também para a atividade que a gestante deseja fazer ou o profissional deseja prescrever. Após esse passo a gestante está liberada para a atividade, porém todo o controle e conhecimento também deve ser levado em consideração.

MUSCULAÇÃO PARA GESTANTES – uma das atividades mais utilizadas hoje nas academias.

A musculação,  por exemplo, é uma atividade muito usada hoje nas academias e por professores que trabalham com treinamento personalizado, porém não são todos os médicos que a liberam. Se bem orientada é uma atividade muito importante e interessante, uma vez que fortalece musculaturas responsáveis pelo controle postura. Há sempre a necessidade, independente do exercícios de realizar ajustes conforme a individualidade da gestante. Desde que liberada pelo médico, tanto a gestante que era sedentária, quanto a que já fazia musculação podem fazê-la. Leia mais…

Tensão Muscular – como identificar?

22-mar-10

Profa. Ms. Gizele de Assis Monteiro

A tensão muscular pode ser usada como um bom indicador do estresse físico e emocional. Toda tensão psicológica ou física se traduz por um aumento da tensão muscular, que tem como função preparar o corpo para uma situação de defesa. Quando essas situações ultrapassam o limite do organismo suportar o estresse, existe um processo de não recuperação do organismo, produzindo tensão muscular excessiva que terá ainda outros efeitos sobre o funcionamento do corpo.

Essa tensão muscular excessiva é responsável no estado de estresse pelas contrações dolorosas de certos músculos, os quais desenvolvem contraturas, denominadas Pontos-Gatilho ou Pontos Sensíveis (nódulos duros encontrados nos músculos).

Na gravidez muitas mulheres podem ficar ansiosas e desenvolver pontos de tensão e a própria alteração postural pode levar ao aparecimento desses pontos. No Pós-parto a tensão muscular pode também ser gerada pelo falta de sono da mamãe ou situações de depressão pós-parto podem ser acompanhadas por essas dores originadas pelos pontos estruturados.

EFEITOS QUE PODEM ESTAR ASSOCIADOS AO AUMENTO DA TENSÃO

  • má postura: leva ao encurtamento muscular e estes quando forçados a um alongamento podem causar dor local e referida.
  • bruxismo: ranger dos dentes que podem ocorrer pela contração muscular crônica
  • cefaléia de tensão (ou de contração muscular): dores de cabeça que podem ocorrer devido ao aumento da tensão muscular e irritação dos pontos-gatilho.

Exemplo de ponto-gatilho e seu padrão de dor referida.

O ponto-gatilho (X) que produz a dor referida  pode estar associado com a cefaléia (dores de cabeça) de tensão.

O exercício de alongamento é um meio eficaz de atuar nessas situações, pois além de agir diminuindo o stress, pode atuar na musculatura fazendo com que o tecido conjuntivo e a musculatura retornem ao seu comprimento natural. Além dessa ação há também o efeito sobre o tônus muscular, diminuindo-o pela sua ação sobre os órgãos proprioceptores, principalmente quando utilizam-se os exercícios de alongamento.

IMPORTANTE

Para o relaxamento do Ponto sensível:

  • Realize sempre exercícios de alongamento ao final do seu treinamento.
  • A massagem no ponto-gatilho pode ter um resultado excelente tanto para o relaxamento muscular quanto para a postura.
  • A massagem suave pode também ser realizada antes, durante e após o alongamento.

EXERCÍCIO PARA RELAXAMENTO UTILIZANDO UMA BOLINHA

  • Manter a pressão por cerca de 10 segundos. Mover para outra área com ponto de tensão e repetir. Tente por cerca de 5-10 minutos.

LEMBRE-SE

  • Se estiver tenso, relaxe seus ombros e realize exercícios de alongamento movimentando sua cabeça suavemente para os lados e para frente.
  • É importante que se esses sintomas forem persistentes o indivíduo procure um médico.

Durante a gravidez é importante um trabalho direcionado para as alterações posturais e manutenção do estado de relaxamento. Procure um profissional para auxiliá-la.

Ginástica para Gestantes

13-mar-10

Profa. Ms Gizele Monteiro

GINÁSTICA PARA GESTANTES – atividade em grupo

Uma atividade em grupo é excelente para descontrair e motivar, mas a primeira coisa a se observar é se o médico libera para a realização de exercícios. Após esse passo a gestante está liberada para a atividade, porém todo o controle e conhecimento também deve ser levado em consideração.

As aulas devem ser programadas e direcionadas para as necessidades gestacionais, havendo sempre a ação em diferentes grupamento musculares e também exercícios com objetivos e materiais diferentes. Mesmo uma gestante sedentária pode iniciar, mas sempre com o controle do profissional que irá atendê-la.

As aulas de Ginástica para Gestantes são compostas de exercícios que tenham um objetivo para a melhora da condição aeróbica, mas principalmente é composta de exercícios de fortalecimento, os chamados localizados, e exercícios de alongamento, que promovem o relaxamento e ação em músculos sobrecarregados pelas mudanças posturais. Ambos são muito importantes para qualquer gestante.

Esses exercícios proporcionam o equilíbrio para grupamentos musculares sobrecarregados pelas mudanças posturais, tanto em força quanto no relaxamento. Os exercícios de alongamento não podem ser esquecidos e devem fazer parte de um programa de Ginástica para Gestantes.

Novas tendências para a GINÁSTICA PARA GESTANTES – TREINAMENTO FUNCIONAL (TF)

Com força total o treinamento funcional é uma atividade que vem ganhando espaço no mercado e com certeza deve fazer parte da composição de um programa de Ginástica para Gestantes. O  treinamento funcional veio para ficar, pelo menos por alguns anos essa modalidade estará na lista das academias e prioridade dos profissionais.

No treinamento funcional existe uma variação muito grande de exercícios e equipamentos (materiais) que podem ser utilizados. O profissional deverá conhecer muito bem cada exercício e material para adaptá-lo para a gestante. Não são todos que ela poderá fazer. As grandes instabilidades e exercícios arriscados devem ser tirados do quadro de exercícios selecionados. Na gravidez a orientação deve ser sempre a segurança da gestante não só pela superfície mais estável (normalmente quanto mais instável no TF mais eficiente é o exercício), mas também pelo grau de dificuldade ou ação do exercício. É importante que o profissional conheça bastante da gravidez e do treinamento funcional para aplicá-lo. O método Mais Vida Gestantes® tem profissionais capacitados para trabalhar com toda a segurança necessária para a gestante.


A pregnant young woman doing exercises

PROGRAMA PÓS-PARTO – GINÁSTICA PARA PÓS-PARTO – aula em grupo

Novamente dentro de um conceito inovador o método Mais Vida Gestantes® traz a ginástica para mulheres no Pós-parto em grupo. Semelhante a Ginástica para Gestantes, com todo os cuidados que a mulher nesse período precisa. Um foco no fortalecimento do músculo abdominal, músculos posturais e do assoalho pélvico, tudo com critérios de segurança para que a mulher não comprometa sua saúde e sua amamentação.

Engana-se quem acha que no pós-parto pode voltar com o ritmo total. O exercício nesse período requer tanto cuidado quanto durante a gestação, pois o corpo da mulher ainda não voltou ao normal e há grande influências hormonais ainda. Desse forma o exercício intenso, independente de qual seja, pode provocar lesões e também comprometer a amamentação.

PROGRAMA PRÉ-GRAVIDEZ

Para quem planeja sua gravidez o programa deve ter como foco a preparação física do corpo da mulher, seja no sentido de perda de peso, como também no fortalecimento dos grupamentos musculares que serão sobrecarregados nesse momento. Por isso os programas são com objetivos, intensidades e volumes diferentes.

Método Mais Vida Gestantes – Programa de exercícios Pré-gravidez, Gravidez e Pós-parto oferece em seus pontos de atendimento aulas de ginástica para gestantes e mulheres no pós-parto.

Saiba mais: e-mail – contato@gizelemonteiro.com.br ou fone - (11) 2867.3307 / 7871.4162.

Quanto devo engordar na Gravidez?

10-mar-10

Profa. Ms Gizele Monteiro

Você sabia que ganhar peso na gravidez nem sempre significa engordar?

Na realidade a grande preocupação com o peso da gestantes deveria começar antes da gravidez. Um programa de exercícios e nutricional pode fazer a futura mamãe chegar ao peso correto e manter um ganho adequado durante a gravidez.

Há uma grande relação entre o peso que se ganha na gravidez e a saúde do bebê e da mãe.

Se a mãe não ganha peso suficiente pode ser que o crescimento do bebê seja comprometido.

Existe também um predisposição ao desenvolvimento da obesidade e algumas doenças como diabetes e hipertensão que podem aparecer durante e após a gestação se o ganho de peso durante a gravidez não for controlado. Existe um aumento das complicações no parto também associado ao ganho de peso excessivo durante a gestação. Daí a importância e o controle do médico quando ele observa que a mamãe está saindo da linha.

Vale ainda lembrar que boa parte do peso ganho durante a gravidez vem dos fluidos, órgãos e o bebê, portanto se ele estiver dentro dos valores normais a mãe no Pós-parto retorna rapidamenteo ao peso, principalmente se nessa fase também houve a realização de exercícios, que como vemos, são importantes antes, durante e depois da gravidez.

O artigo no link (Flavia Schwartzman) faz uma abordagem detalhada de como é distribuido esse peso, acessem, vale a pena: http://www.clicfilhos.com.br/site/display_materia.jsp?titulo=Ganhar+peso+n%E3o+significa+engordar