O uso de adoçantes na gestação

Mirtes Stancanelli

es Alguns testes feitos em camundongos resultaram em câncer na bexiga dos animais. Não é comprovado o risco em seres humanos, mas os estudos com animais incentivaram a proibição dos adoçantes em alguns países e sua restrição no Brasil.

Adoçante na gestação

Adoçante na gestação

A preocupação está no uso excessivo, de forma indiscriminada que é muito comum, principalmente para quem deseja manter o peso. Uma série de produtos do nosso dia-a-dia contém edulcorantes, como os alimentos diet e light.

Adoçantes à base de:

- SACARINA – deve ser restrita por se mostrar permeável à placenta, isto é, ela passa na placenta chegando ao feto, e é pouco excretada pelo feto. O aumento deste produto está associado com tumores malignos e prejuízo no crescimento de crianças.

- CICLAMATO – algumas evidências mostram se relacionar com um menor ganho de peso fetal.

A tabela abaixo refere-se a quantidade limite para o uso dos diferentes edulcorantes. Cuidado com as quantidades, leia com atenção os rótulos dos alimentos!

LIMITES PERMITIDOS
Fonte: Organização Mundial da Saúde

Edulcorante

Limite (mg/kg)

Acessulfame-K

15

Aspartame

40

Ciclamato

11

Frutose

não existe limite

Sacarina

5

Estévia

5,5

Sucralose

15

Xylitol, Manitol, Sorbitol

15

Alitame

1

Glocosídeos de Esteviol

2

Neotame (ainda não aprovado no Brasil)

2

Antes do uso de qualquer adoçante converse com seu médico e peça orientação profissional.

Referências

Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso).

American Dietetic Association.